Por Felipe Moreno Em petrobras  25 out, 2013 20h52

Depois de calote da Venezuela, Petrobras decide incorporar refinaria problemática

Refinaria, prometida em 2005 pelo então presidente Lula, deveria ter sido construída em conjunto com a PDVSA, a estatal venezuelana de petróleo

Por Felipe Moreno Em petrobras  25 out, 2013 20h52

SÃO PAULO - Um projeto bastante criticado pela oposição, a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, será incorporada completamente à Petrobras (PETR3; PETR4) anunciou a estatal nesta sexta-feira (25). Essa refinaria, prometida em 2005 pelo então presidente Lula, deveria ter sido construída em conjunto com a PDVSA, a estatal venezuelana de petróleo

A Abreu e Lima, porém, foi tida como mais uma tentativa de geopolítica do governo petista do que propriamente uma decisão econômica tomada pela Petrobras - o interesse seria se aproximar do governo de Hugo Chávez. As críticas cresceram ainda mais quando os venezuelanos não pagaram sua parte na refinaria - e os custos, inicialmente estimados em US$ 2,5 bilhões, cresceram sete vezes para US$ 17,1 bilhões.

Agora, a Petrobras se vê com um ativo que refina principalmente o petróleo pesado, natural da Venezuela - ao passo que a grande maioria do petróleo brasileiro é leve. A refinaria está "praticamente pronta", mas a Petrobras quer agilizar a execução de obras e facilitar a coordenação de refino. A refinaria era uma entidade separada da Petro para "facilitar possíveis parcerias com investidores interessados", o que não logrou êxito. 

pôster Hugo Chávez
(Reuters)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Contato