Petrobras vende ativos na Argentina por metade do preço, diz Época

De acordo com a publicação, venda de fatia da Pesa foi feita no montante de US$ 238 milhões para Carlos Fábian, aliado de Cristina Kirschner
Por Lara Rizério  
a a a

SÃO PAULO - De acordo com documentos obtidos pela revista Época, a Petrobras (PETR3;PETR4) vendeu sua unidade na Argentina, a Pesa, por metade do preço para um amigo da presidente do país, Cristina Kirchner. 

O negócio foi fechado na última quarta-feira (27), entre a petrolífera e o executivo Carlos Fabián, do grupo argentino Idalo, de acordo com a publicação. Fabián trabalha para o bilionário Cristóbal López, dono do grupo. Amigo e apoiador da presidente Cristina, ele é conhecido como "czar do jogo'', devido ao seu domínio no mundo dos cassinos, o que foi visto com desconforto por técnicos da Petrobras. 

Este desinvestimento é parte da estratégia recente da companhia que, precisando reforçar o caixa, resolveu vender grande parte do seu patrimônio no exterior, esperando arrecadar cerca de US$ 10 bilhões.

A Petrobras vendeu 50% das ações que detém na Pesa, cujo montante de 33% das ações são públicas, negociadas nas bolsas de Buenos Aires e Nova York. A Indalo se tornará dona de 33% da Pesa, se tornando sócia da companhia no negócio e ainda comprará por US$ 238 milhões todas as refinarias, distribuidoras e unidades de petroquímica operadas pela estatal brasileira. Técnicos apontam que os ativos deveriam ser vendidos por ao menos US$ 400 milhões. 

Negócio é mal visto dentro da companhia
O negócio foi visto com apreensão dentro da Petrobras, devido aos valores, o momento da venda, a identidade do novo sócio e o momento em que ele entrou na operação. Em 2002, a Petrobras gastou US$ 1,1 bilhão e assumiu uma dívida de US$ 2 bilhões para comprar 58% da Perez Companc, a maior empresa de petróleo privada da Argentina até o momento, tornando-se dona de 67% da empresa.

Em maio de 2011, a Argentina anunciou a descoberta da terceira maior reserva mundial de xisto, equivalente à metade do petróleo do pré-sal brasileiro, sendo que a Pesa possui 17% das áreas no país. Já em 2012, a petroleira adquiriu a EntreLomos, levando a um aumento da produção.

Entretanto, em meio à situação econômica bastante difícil da Argentina, as ações da Pesa passaram a se desvalorizar, caindo mais de 60% desde 2011. Deste modo, os técnicos da Petrobras questionam se o momento é o melhor para se fazer a operação, já que ela poderia esperar que a Pesa recuperasse o valor de mercado, aponta a revista.

Assuntos relacionados: Petróleo

Deixe seu comentário