Fundos de Private Equity mostram interesse em expandir aportes no Brasil

Com cerca de 10% do portfólio investido no País, diretora da Hamilton Lane diz que essa porcentagem pode ser ainda maior
Por Fernando Ladeira  
a a a

SÃO PAULO - Com perspectivas positivas para a economia do Brasil, executivos de fundos de Private Equity internacionais demonstram interesse em ampliar os investimentos no País.

Andrea Kramer, diretora da Hamilton Lane, que gerencia US$ 145 bilhões em fundos de Private Equity, diz possuir intenção de ampliar os recursos aportados no Brasil, o que atualmente se encontra em cerca de 10% do portfólio total. No ano passado, foi investido cerca de US$ 1,2 bilhão.

"Historicamente, a exposição aos mercados emergentes era de 5%, mas isso está mudando para cerca de 10%", afirmou Andrea, em congresso da ABVCAP (Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital), nesta terça-feira (17).

Prioridade
Do mesmo modo, Robert Stungeon, gerente sênior de investimentos da EDC (Export Development Canada), diz que nos últimos anos o interesse pelo País tem crescido amplamente. "A prioridade número um é aumentar a exposição ao Brasil", ressaltou. E isso é possível, diz, já que a exposição do portfólio é de apenas 2% ao País, contra 10% para a China.

Na mesma linha de pensamento, Yoav Samet, diretor sênior da Cisco Systems, a qual possui um braço de investimentos, lembra que o ambiente encontrado no Brasil para a prática de Private Equity é mais desenvolvido do que aquele observado em 2005 na Rússia, onde a companhia afirma ter construído uma história de sucesso.

Deixe seu comentário