Por Edilaine Felix  08 out, 2012 08h58

Empresas brasileiras gastam 2.600 horas por ano pagando impostos

Ranking elaborado na América Latina mostra que as taxas de impostos corporativos no Brasil são de 34%, enquanto no Chile é de 18,5%

Por Edilaine Felix  08 out, 2012 08h58

SÃO PAULO - O Brasil é o pior lugar da América Latina para empresas que precisam pagar impostos. Com sistema tributário falho, o País ficou na lanterna pelo segundo ano consecutivo no ranking que engloba 18 países da região elaborado pela “Latin Business Chronicles’s”. As empresas levam 2.600 hora por ano pagando taxas.

O ranking leva em consideração quatro fatores: impostos corporativos, impostos como porcentagem de lucros e o maior número de horas gastas para pagamento anual de impostos.

De acordo com a consultoria KPMG, as taxas de impostos corporativos no Brasil são de 34%, segunda mais alta depois da Argentina e de Honduras, com 35% e a mesma taxa da Venezuela. A média regional está em 28,2%.

Em horas
A complexidade do sistema tributário brasileiro pode exigir dos contribuintes 2.600 horas por ano, ou 180 dias, para pagar imposto, segundo dados do Banco Mundial. O indicador tempo é que derruba o Brasil e o coloca na pior colocação, pois em Honduras, são necessárias 224 horas por ano e na Argentina, 415 horas. 

Esse número é cinco vezes maior que a média da América Latina e o pior entre 183 países analisados pelo Latin Business Chronicles’s. Os dados referem-se ao primeiro semestre deste ano.

Melhores e piores
Brasil, Argentina e Venezuela são “pequenos pesadelos tributários para os empresários”, classificados em 15º, 16º e 17º lugar na lista do índice fiscal. Do outro lado, Paraguai tem a taxa mais baixa da América Latina, 10% ,e o Chile é o mais bem classificado no índice e o segundo da região, com taxa de 18,5%.

 

impostos - contabilidade - calculadora
(Getty Images)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Contato