Alimentação saudável pesa mais no bolso do paulistano

Fecomercio-SP revela que carne foi as melhor opção no primeiro semestre, com redução de 5,38% no preço
Por Fabiana Pimentel  
a a a

SÃO PAULO - O preço dos alimentos saudáveis, como frutas, verduras e legumes, pesaram mais no bolso do consumidor paulistano no primeiro semestre deste ano. No semestre, o valor dos produtos comprados em feiras subiu 12,21%.

De acordo com o IPV (Índice de Preços no Varejo) publicado nesta terça-feira (14) pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), entre maio e junho o preço dos alimentos comprados nas feiras subiu, em média, 4,42%.

Em junho, os preços de Ovos, Legumes, Frutas, Tubérculos e Verduras subiram 0,7%, 2,64%, 3,07%, 6,68% e 11,5%, respectivamente. De acordo com a Assessoria Técnica da Fecomercio-SP, a variação se deve as instabilidades climáticas naturais do período.

De acordo com o IPV, fazer compras no supermercado, de um modo geral, está cada vez mais caro e o principal fator para tanto é a alta no preço dos alimentos. O indicador mostra que os preços de Ovos, Legumes, Frutas, Tubérculos e Verduras ficaram, respectivamente, 3,51%, 10,67%, 0,79%, 12,28% e 7,17% mais caros.

Churrasco
Na contramão dos preços dos legumes e frutas, as carnes vendidas nos açougues ficaram 5,38% mais baratas no acumulado deste ano. Na comparação mensal, houve queda de 0,4%.

Em junho, as carnes bovinas, suínas ficaram, respectivamente, 0,68% e 0,88% mais baratas. Já o preço das carnes de aves subiu 1,1% em junho após recuar 1,14% em maio.

Nos supermercados, o preço da carne bovina recuou 0,13%, sendo o único a ficar mais barata em junho. Já as carnes suínas ficaram 2,25% mais caras, a primeira alta em seis meses, e o preço das carnes de aves subiu 1,72%, a segunda alta no período.

Na mesa
Comprar um pãozinho na padaria também está cada vez mais caro. O indicador aponta que o preço do pão francês e dos demais panificados subiu 0,81% em junho, apresentando a 32° alta consecutiva.

Além dos panificados, os preços de bebidas, frios e laticínios estão maiores do que nos meses anteriores. Os doces ficaram 0,18% mais baratos entre maio e junho, mas essa foi a única retração registrada no setor este ano. No primeiro semestre de 2012, o setor acumula alta de 7,18%.

Outros setores
O preço dos veículos registrou a segunda queda consecutiva, resultado favorecido pela prorrogação da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que deve continuar pressionando os preços nos próximos meses.

Com este cenário, o setor automotivo registrou recuo de 2,76% nos preços médios. O IPV revela, também, que enquanto os carros novos ficaram 3,59% mais baratos, os usados desvalorizaram 2,14%. No primeiro semestre de 2012, os preços do setor acumulam queda de 4,24%.

O indicador também registrou impulso nos preços de: Livraria (0,43%), Autopeças e Acessórios (0,38%), Drogarias e Perfumarias (0,74%), Material de Escritório (0,39%), Floriculturas (5,16%), Relojoarias (0,81%), Material de Construção (0,52%), Jornais e Revista (0,39%), Vestuários, Tecidos e Calçados (0,22%) e Móveis e Decorações (0,24%). Já os setores de Eletroeletrônicos, Eletrodomésticos, Brinquedos, Combustíveis e Lubrificantes, CDs e Óticas registraram retração de 0,63%, 0,97%, 0,29%, 0,66%, 0,13% e 0,35%, respectivamente.

Em junho, o IPV registrou elevação de 0,22% em relação ao mês anterior. No ano, acumula alta de 0,84% e, nos últimos 12 meses, de 2,96%.

Assuntos relacionados: Alimentos Consumo Preços Supermercados

Deixe seu comentário