Correção do FGTS refletiria em juros mais caros para financiar casas, diz Caixa

A utilização do índice de inflação para correção do FGTS alteraria também a taxa para financiamento imobiliário
Por Nara Faria  
a a a

SÃO PAULO - Se por um lado a briga na justiça que já acumula quase 30 mil ações para que a Caixa Econômica Federal faça a correção do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) em vez de utilizar a TR (Taxa Referencial) pode aumentar os rendimentos no período, as contas podem ser desastrosas para quem possui financiamento de casas junto à instituição.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, uma correção dos juros pode refletir na alta dos financiamentos habitacionais. Isso porque o aumento do custo de captação do banco também vai aumentar o custo dos empréstimos para a compra de casas que usam recursos dessa fonte.

"Se eventualmente o judiciário decidir pela substituição da TR pelo INPC, quem tem conta de financiamento junto à Caixa será afetado, mesmo para os financiamentos já existentes. Se é uma decisão judicial, ela terá que ser respeitada", declara Teotonio Rezende, diretor de Habitação da Caixa.

Rezende explica que a alta dos juros cobrados pelos financiamentos ocorreria porque a legislação obriga os bancos a usarem a mesma fórmula de correção aplicada aos saldos do FGTS dos trabalhadores nos financiamentos habitacionais. Desta forma, se houver a concordância da Justiça de que deve ser substituído a TR por um índice inflacionário, no mesmo pacote entrariam os contratos de financiamento imobiliários.

De acordo com matéria publicada pelo Portal IG, se o FGTS for corrigido pela inflação, as taxas de juros cobradas no crédito habitacional que usa recursos do fundo subiriam da faixa atual de 6,66% a 8,66% ao ano para uma variação entre 12,5% e 14,6% ao ano, segundo contas apresentadas em um dos processos em que o banco foi derrotado.

No caso de um empréstimo de R$ 100 mil com prazo de 10 anos, o montante de juros pago pelo mutuário saltaria 63%, de R$ 110.894,49 para R$ 180.645,87. O banco usou como referência nos cálculos o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Até agora, nos cinco casos em que o banco já foi derrotado, a Justiça obrigou a instituição financeira a utilizar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor comum (INPC) e o IPCA especial (IPCA-E). 

Como anda o processo
Até o momento, o banco ganhou 13.664 processos e perdeu cinco. Mesmo para esses casos a decisão ainda não está liberada para ser aplicada e a Caixa garante que irá recorrer à decisão. O objetivo das ações é que as contas passem a ser corrigidas por um indicador inflacionário, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), sendo que, as ações consideram que os trabalhadores vêm sendo prejudicados desde 1999, quando passou a ser corrigido pelo TR. 

Segundo o STF, nos últimos 14 anos, a correção do FGTS baseada na TR não acompanhou os índices de inflação, fazendo com que o fundo sofresse perdas e os trabalhadores recebessem menos do que deveriam. Os especialistas em Direito alegam que o FGTS teria de ser corrigido pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Mas como não houve mudança na lei, quem desejar a correção tem que pleitear na Justiça.

Por lei, o FGTS é corrigido pela TR (Taxa Referencial) mais 3% ao ano. Entretanto, no ano passado, o STF (Supremo Tribunal Federal) abriu precedente para correção por considerar a correção pela TR inconstitucional, não enxergando a taxa como indicador de correção monetária.

O presidente da G Carvalho Sociedade de Advogados, Guilherme de Carvalho, acrescenta que a defasagem entre a correção pela TR e pelo INPC pode chegar a 88,3% no valor do FGTS. Vale mencionar, no entanto, que ao longo da década de 1990, a TR superou a inflação. Sendo assim, a troca pode ser positiva para saldos a partir de 1999, mas negativa para anteriores.

Assuntos relacionados: FGTS

Deixe seu comentário

João Batista Martins (29/01/2014 16:00:46) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAA
João Batista Martins (29/01/2014 16:00:57) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAAAAA
João Batista Martins (29/01/2014 16:01:05) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
João Batista Martins (29/01/2014 16:01:15) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
João Batista Martins (29/01/2014 16:01:25) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
João Batista Martins (29/01/2014 16:01:37) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAAAAAA
João Batista Martins (29/01/2014 16:01:44) COM NÓS NÃO TEM ÉSSA: ======================== 1-PODE ELEVAR JUROS 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAAA
Pedro Benevides (29/01/2014 17:55:33) Se esta medida for aprovada, será o estouro definitivo da bolha imobiliária brasileira. Duvido muito que o trabalhador ganhe esta causa.
João Batista Martins (29/01/2014 17:57:36) COM NÓS OGXP3 NÃO TEM ÉSSA: ============================= 1-PODE ELEVAR JUROS QUE INCLUSIVE GANHAMOS MAIS COM EXPORTAÇÃO 2-NÃO TEM BOLHAS 3-NÃO PRECISAMOS DE ESTIMULOS 4-PSIUUU SEM PETRÓLEO MUNDO PARA 5-ISSSO TUDO PORQUE PARA PETRÓLEO SEMPRE VAI TER MERCADO PODE VIR FURACÃO VEMMMM VEMMMMMMM OGXP3 R$ 10,00 20,00 30,00 40,00.................................... 6-HAAAA INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS INFOOOO DERRUBA NÓS COMPRAMOS 7-IGUAL NOSSO INVESTIMENTO É A LONGO PRAZO MESMO NÃO ESTAMOS NÉ AI NÉMMM AIIIIIIIIIIII KKKKKKKKKKKKKK KKKKKKKKKK.......OGPX3 PODEROSA EXPLOSIVAAAAAAA
LFernando De Paula (29/01/2014 20:41:35) Carad de psu! Pagam 3 no fgts e cobram 10 no crédito imobiliário. ..e agora vêm com esse papinho de impactar.
Carlos A C Neves (29/01/2014 20:57:02) E a bolha imobiliária vai fazer.... "PLOC".... imagina se o juros subir ~3% que é +/- o que dá de diferença.... vai ter gente que ia comprar imovel de R$300K, usando a "rendinha" de ~R$8.500,00 em 35 anos, e da noite para o dia, vai ter apresentar renda de >R$10.000,00, fora a prestação que vai pular e uns R$2.400 para uns R$2.900 :P
Mauricio Brenno (29/01/2014 21:07:55) A relação da possibilidade da correção do FGTS pelo INPC com os juros cobrados do Financiamento Imobiliário, nada tem haver um com o outro, enquanto o FGTS é corrigido pelos míseros TR + 3% ao ano, os financiamentos imobiliários são corrigidos a 14% ao ano pelos bancos, superando duas vezes a Inflação. Já estão começando com essa história de afetar os financiamentos imobiliários para a sociedade recuar nas Ações de Revisão do FGTS, se for assim, devemos ingressar com Ações para Revisar Contratos dos Mutuários afim de pleitear juros conforme os índices de Inflação divulgado pelo Governo. Quer ingressar com Ação de Revisão do FGTS? Entre em contato (11) 9.8261-7047, você tem direito a reposição inflacionária de 1999 a 2013.
Rapha El (29/01/2014 21:18:14) Os juros do financimento com recursos do FGTS variam de 4,5 % ao ano até 6,66 % ao ano. Acima de 8% somente os financiamentos com recursos da poupança, para variar mais uma matéria do infomoney repleta de erros...
Pedro Benevides (29/01/2014 23:09:59) Não sei de onde você tirou estas taxas de correção do financiamento. Os financiamentos atuais tem sido contratados a juros que iniciam em 4,5%aa (MCMV), indo até 8,85%aa (nominais, efetivos = 9,6%aa) + TR. Se o FGTS deixar de ser corrigido pela TR e passar a ser corrigido pelo IPCA, no mesmo instante os juros dos financiamentos passarão a ser corrigidos pelo IPCA, afinal, não existe almoço grátis.
(29/01/2014 23:35:14) Os trabalhadores estão sendo estuprados. Além disso, o empresário pega financiamento no BNDES a custo baixo e aplica o seu capital em títulos do governo, levando a diferença de juros... Um absurdo desses somente num país medíocre chamado BraZiU!
Aylton Cavallini Filho (29/01/2014 23:50:27) A reportagem é muito superficial e não mostra uma visão mais ampla sobre o tema. A correção do FGTS por um índice que reflita a inflação é mais que justa! Quanto aos contratos habitacionais já assinados, penso ser muito difícil que haja alteração, pois são atos jurídicos perfeitos e não vejo como podem ser afetados. Não se pode misturar as coisas: um coisa é o tratamento justo ao fundista que está sendo "confiscado"; outra coisa são os financiamentos com recursos do FGTS, que não são apenas os habitacionais. Sempre há soluções e não haverá qualquer catástrofe se a justiça for feita, muito pelo contrário, o mundo será melhor e o trabalhador será tratado de forma mais respeitosa, e não precisará se revoltar de forma bárbara. No plano color, por exemplo, a diferença foi paga com os 10% a mais na multa rescisória que continua até os dias de hoje com o veto presidencial de sua extinção. A politica habitacional é equivocada. Os juros caíram um pouquinho, os subsídios subiram um pouquinho, as custas do trabalhador, mas os imóveis triplicaram de preço, o que fez com que tudo ficasse pior que antes. É necessário atuar no lado nos gargalos da oferta.
Pedro Benevides (29/01/2014 23:53:48) É claro que a conta não fecha, meu caro, a correção do FGTS é assunto de capitalização composta e o financiamento imobiliário é assunto de métodos de financiamento. Enquanto você tem na correção do FGTS o montante multiplicado por (1+i)^n, no sistema SAC a sua prestação é dada por R = [(n-k+1)*i+1]*A, sendo n: Quantidade de prestações i: Taxa de juros A: Parcela constante da amortização Jk: Parcela do Juro k k: Número da prestação Olha a diferença de cálculo entre uma coisa e outra. Sao maças e laranjas. E outra: somar as prestações de financiamento é um erro crasso de matemática financeira. O dinheiro não tem o mesmo valor ao longo do tempo. O correto é trazer este financiamento a valor presente. Eu sei que o mutuário paga 3x o valor do imóvel. Eu sei que a poupança rende 0,5%am + TR. Só que eu estou falando de funding (funding é o dinheiro usado pra conceder o financiamento). O que a CEF usa pra dar empréstimo imobiliário vem basicamente de 2 locais: 1 - FGTS 2 - Caderneta de poupança Pode vir de outros locais como CRI, LCI, etc, mas o grosso é isso aí acima. O dinheiro depositado em FGTS é corrigido em 3%aa + TR. O dinheiro depositado em poupança é corrigido em 6,17%am + TR (isso quando a SELIC esta acima de 8,5%aa). A CEF, ao emprestar, vai colocar como taxa de juros efetivas, exceto pra MCMV, pelo menos 8%aa, é lógico, pois temos inflação de 5,5%aa ou mais todos os anos. Além dela se proteger da inflação, ainda precisa tirar algum lucro, concorda? Se você for reparar bem, os juros de financiamento imobiliário não cobrem nem a inflação do período, pois a CEF, além de perder 5,5% pra inflação, ainda tem que remunerar o capital que ela usou do FGTS em 3%aa. O grande ganho da CEF é na fidelização do cliente, pois o indivíduo ficará uns 20 anos com conta na CEF e contratando todo o tipo de empréstimo, cheque especial, etc., estes, sim, com taxas de juros exorbitantes. Não existe almoço grátis. Se o STF decidir em favor do trabalhador na questão da correção do FGTS pelo IPCA, vai ter que corrigir o financiamento imobiliário pelo IPCA também, questão de finanças... Não me leve a mal, eu quero mesmo é o que o trabalhador ganhe a causa lá no STF e que a CEF modifique o financiamento, pois a bolha imobiliária brasileira está escandalosa. Esta medida acaba de vez com qualquer mercado especulativo no setor imobiliário brasileiro.
Pedro Benevides (29/01/2014 23:55:17) O que eu quis dizer é que, se trocarem a TR pelo IPCA, os financiamentos imobiliários passarão a ser concedidos com correção pelo IPCA. E aí a diferença de valores que vc me propôs fazer a conta será infinitamente maior.
Mpexe Puc (30/01/2014 07:44:20) Bolha!
Maria Rodrigues Gama (30/01/2014 12:42:03) http://fgtscorrigido.blogspot.com.br/
(30/01/2014 13:10:40) E dai ?? o que eu tenho a ver com isto ? Tentei por diversas vezes pegar emprestimo ou utilizar meu FGTS...para minha casa....nunca consegui....uma que os juros cobrados sempre são maiores do que os anunciados, a documentação exigida é tanta que abandonei.... Agora meu FGTS esta lá sendo usado pela caixa, que cobra juros integrais aos que fazem os emprestimos...e não querem que seja corrigido de forma correta ? que se dane!!! que roubem menos, que tenha menos corrupção neste pais injusto....onde quem rouba um pacote de bolacha esta na cadeia...e os ladrões politicos estão em seus iates, no exterior...debochando do povo que paga 145 dias por ano em impostos. É de chorar querer agora ter Lei contra empresas que pagam propina ou praticam corrupção....kkkkkk....horas e o governo !!! cade a Lei para governo ? Certo esta a China que pega estes caras e os poe em frente ao pelotão de fuzilamento.
Maia Botelho Advocacia Empresarial (30/01/2014 13:59:18) Atualmente, no "mundo jurídico", tem se falado a todo momento sobre uma tese de correção equivocada dos valores depositados no FGTS,o que vem causando a euforia de muitos advogados e contadores, tornando-se um assunto corriqueiro em todos os ambientes jurídicos (escritórios, faculdades, etc), bem como em sindicatos e empresas. Rapidamente, a animação chegou aos trabalhadores e aposentados, o que é natural. Quem não quer receber uma correção no seu FGTS ou até mesmo o montante em dinheiro (aposentados ou quem sacou o FGTS no período) da Caixa Econômica Federal ? Todos. De forma bastante resumida, a história começou quando o STF proferiu uma decisão declarando que a utilização da Taxa Referencial (TR) como índice de correção monetária para o pagamento de PRECATÓRIOS é inconstitucional. Como a Lei do FGTS define que é a mesma TR o índice de correção dos valores depositados nas contas do FGTS, foi elaborada uma tese pelos advogados de que a correção dos valores depositados nas contas vinculadas ao FGTS não poderia também ser corrigidos pela TR pois esta não acompanha a inflação, o que prejudicou os trabalhadores durante os últimos anos. Tese simples, porém brilhante. De tempos em tempos, surgem ações “em massa” deste tipo no Brasil, podemos citar como exemplos mais recentes, as revisões de aposentadoria (desaposentação) e as revisões das tarifas e taxas cobradas em contratos de financiamentos de veículos. Entretanto, essa ação revisional, NO ATUAL MOMENTO, possui certas peculiaridades que infelizmente muitos profissionais do Direito, jornalistas e contadores não estão levando em consideração antes de divulgar em sites e blogs que “VOCÊ TEM O DIREITO DE CORRIGIR O VALOR DEPOSITADO NO SEU FGTS EM ATÉ 80%!!!, VOCÊ TEM O DIREITO DE RECUPERAR O QUE PERDEU” !!!! Atualmente se tem notícia de somente 5 (cinco) decisões de primeira Instância julgando o pedido procedente EM TODO O BRASIL, num universo de aproximadamente 35 mil ações já ajuizadas. Alguns pontos a serem levados em consideração para quem pensa em ajuizar a ação agora ou no futuro: 1) Existe a probabilidade do STF entender que não há ilegalidade em se aplicar a TR para corrigir os valores do FGTS. É óbvio pois esse risco sempre existe quando se ajuíza qualquer ação, você pode ganhar ou perder, mas muitos neste caso já estão considerando a “causa ganha”, mesmo nas atuais circunstâncias. 1.2) Infelizmente, a decisão desta questão causará tanto impacto no judiciário (o número de ações idênticas após um julgamento favorável do STF poderá ser de milhões, abarrotando os tribunais) e principalmente na Caixa Econômica Federal, que a decisão terá grande influência e cunho político. Algumas fontes não oficiais estimam que o impacto na CEF seria de aproximadamente 200 BILHÕES de Reais. 2) O advogado deve informar ao seu cliente que, ajuizando a ação agora, provavelmente será necessário a interposição de no mínimo dois recursos, Apelação para o Tribunal Regional Federal competente ( ou Recurso Inominado caso seja ajuizada a ação no Juizado Especial Federal), e posteriormente Recurso Extraordinário para o STF, recursos que custam uma quantia considerável de dinheiro, caso a parte não esteja amparada pelos benefícios da justiça gratuita. 3) Não se sabe o número exato de quantos Recursos são conhecidos,processados e julgados pelo STF em comparação ao número de recursos interpostos e que não são conhecidos, mas dizem que “ Para fazer um recurso ser conhecido pelo STF o advogado tem que ser mágico”. Como dizer ao seu cliente que o processo se encerrou por que o seu recurso não foi “recebido” pelo Tribunal? 4) Caso a tese saia vitoriosa dos tribunais, aqueles que ainda não sacaram os valores depositados no FGTS, teriam os valores corrigidos, porém só teriam acesso ao dinheiro, obviamente quando estiverem amparados legalmente para sacar o FGTS. Ou seja, muitos clientes acham que no fim do processo vão receber o valor da correção “em mãos $$ ”, o que não ocorrerá para muitos. 4.1) A tese sendo acolhida pelo STF, qualquer pessoa que possua os pré-requisitos para pedir a correção conseguirá esta em primeira Instância, sendo desnecessário a interposição de diversos recursos, o que poupa dinheiro, MUITO tempo e sem correr aquele risco de ter o seu recurso não “recebido” pelo STF. 4.2) Se o valor da correção pleiteada for abaixo de 20 (vinte) salários mínimos (RS14.480,00), o trabalhador ou aposentado não precisa de um advogado para ajuizar a ação no Juizado Especial Federal. Se com o tempo vier uma decisão favorável do STF, ficará bem mais fácil para qualquer um pleitear os seus direitos. 4.3) A Defensoria Pública da União, já prepara uma ação coletiva, que caso seja julgada procedente, valerá para todos aqueles que possuem ou possuíram conta vinculada ao FGTS desde 1999. (Alguns discutem a legitimidade da DPU para ingressar com ação coletiva que tenha como objetivo discutir assuntos relacionados ao FGTS, mas não é o nosso objetivo debater sobre isto aqui.) 5) Em muitos casos, o valor da correção que o trabalhador tem direito é tão baixo que os gastos para pedir a revisão podem ser maiores do que os que serão recompostos no seu FGTS no caso de procedência da ação. 6) Conforme o entendimento majoritário e da súmula 57 do TRF da 4 º Região, as ações de cobrança de correção monetária das contas vinculadas do FGTS sujeitam-se ao prazo prescricional de 30 (trinta anos), ou seja, quanto à prescrição não há motivos para se ter pressa em ajuizar a ação revisional agora. 7) A única razão plausível para ajuizar a ação agora e seguir a enxurrada de ações já propostas, refere-se à questão dos juros de mora, que incidirão do momento em que a Caixa for citada no processo. Levando em consideração o longo período em que a ação irá tramitar, aquele que ajuizar a ação agora receberá uma correção um pouco maior do que aquele que esperar, caso o STF decida em favor da tese. Os riscos em ajuizar a ação agora estão nos itens acima, cabe a cada um avaliar as vantagens e desvantagens conforme foi exposto para escolher o momento ideal de realizar o seu pedido de revisão.
Advocacia Rivaldo Ribeiro (30/01/2014 16:32:18) Não podemos esperar até que o STF se pronuncie, temos que pressionar para fazer valer o direito dos trabalhadores. Acreditando nisso estou repassando: Inicial FGTS, Tabela Excel (aprovada pela justiça Federal),Sentença procedente, impugnação, contestação da caixa, decisão do STF,STJ, Recurso Inominado e demais documentos. Se quiser envie me um email rivaldo_ribeiro@hotmail.com Dr Rivaldo Ribeiro
Advocacia Rivaldo Ribeiro (30/01/2014 16:32:44) Não podemos esperar até que o STF se pronuncie, temos que pressionar para fazer valer o direito dos trabalhadores. Acreditando nisso estou repassando: Inicial FGTS, Tabela Excel (aprovada pela justiça Federal),Sentença procedente, impugnação, contestação da caixa, decisão do STF,STJ, Recurso Inominado e demais documentos. Se quiser envie me um email rivaldo_ribeiro@hotmail.com Dr Rivaldo Ribeiro
Roberto Novello Jr (31/01/2014 09:49:49) Será que cabe ao judiciário a análise do direito sob o ponto de vista econômico se esta ou aquela instituição vai alterar sua política de juros no financiamento da casa própria caso passe a tese do INPC? Eu não financiei meu imóvel; várias pessoas prejudicadas pela correção da TR também não.
Luciana Rubini Tambosi (31/01/2014 11:26:17) Há uma questão que a CEF não está considerando, quando faz referência ao aumento da taxa para contratos em curso. Somente a título de exemplo: se eu adquiri um imóvel de R$ 100.000,00 há 5 anos e, na oportunidade, utilizei os recursos do FGTS na ordem de R$ 30.000,00, esse percentual representava cerca de 30% do valor total do imóvel. Porém, com a correção do FGTS conforme se discute, eu não deveria ter R$ 30.000,00 naquela época, mas bem mais do que isso, de modo que o valor a ser financiado teria sido menor. Não sei se me fiz entender... mas isso deve ser considerado.
Ismael Cordova (31/01/2014 14:36:12) Disponibilizo para quem tiver interesse em ingressar com a ação: Inicial FGTS 35 laudas, Impugnação a contestação, Contestação da caixa, Sentenças procedentes de 3 estados, Recurso inominado , Tabela Excel (aprovada pela justiça federal), e demais documentos. Ps.Envio a sentença procedente do Rio grande do Sul Peça para cordovaismael@hotmail.com Dr. Ismael Córdova
Erci Barros Peixoto Valença (02/02/2014 10:06:30) Dificil entender como um trabalhador que já é explorado com diversos impostos ainda tem que arcar com esse custo, pois na prática essa diferença acaba sendo um imposto disfarçado. Não se pode querer cobrar impostos maquiando o rendimento dos outros, é como se quisessem arrecadar descontando a quantidade de ar que se respira ou a quantidade de dias que se conseguiu viver. Hoje para o governo vale tudo para bater nossas carteiras.
Ronni Paul (05/02/2014 13:20:04) E daí se vai aumentar o valor do financiamento de imóveis? Alguém que tenha conta no FGTS por acaso assinou algum papel entregando seu saldo para outras pessoas comprarem casas e apartamentos, com dinheiro seu, subsidiado? Tudo que o Estado brasileiro põe a mão vira merda, é impressionante!!! E o FGTS ainda é um custo trabalhista altíssimo que impede as empresas (entre muitos outros custos, claro) de pagarem melhores salários... Melhor solução: incorporação automática do percentual do FGTS ao seu salário, com sua posterior EXTINÇÃO para novos contratos...A partir daí, cada um iria cuidar do seu dinheiro da maneira que achasse correto...Mas os políticos nunca aceitariam, pois retiraria BILHÕES das mãos deles, esses malandros dependem dessa e outras fontes para fazerem POPULISMO IDIOTA!!!