Em mercados / politica

"Não há condições de votar a Previdência semana que vem", diz líder do PMDB

Deputado liderou o fechamento de questão sobre o texto da reforma dentro do partido

SÃO PAULO - O líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), afirmou nesta quinta-feira (7) que o governo não possui neste momento os votos necessários para aprovar o texto da reforma da Previdência e que não será votada na semana que vem: "não há condições de votar a reforma da Previdência na semana que vem", afirmou em entrevista à Bloomberg.

De acordo com Rossi, o jantar com Temer foi bastante prestigiado, mas a conclusão que se chegou é que ainda não temos votos necessários para poder pautar a reforma da Previdência neste momento. Segundo ele, alguns partidos estão com dificuldades para acatar a ideia, mas quem mais decepcionou foi o PSD e PR, que era esperado um apoio mais concreto: "vamos tentar crescer, mas acho difícil votar neste ano", disse.

O recado do deputado, que foi um dos principais articuladores peemedebista para o fechamento de questão sobre a Previdência dentro do partido, reforça o coro do vice-líder do governo, Beto Mansur, que admitiu na noite da última quarta-feira (6) que o governo não possui os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência e que pretende adiar mais uma vez a votação do texto.

Temer esperava na noite da última quarta-feira (6) determinar quantos congressistas estão a favor da reforma da Previdência, mas o governo (e o mercado) ainda não tem a resposta que tanto quer. Em entrevista após o encontro, o vice-líder do governo, Beto Mansur, admitiu um apoio de apenas 260 votos, muito longe do que a PEC exige e abaixo dos 290 parlamentares citados pela manhã. Em vista da negativa, o deputado afirmou que Temer pretende adiar a votação para o dia 18, antes esperada para a próxima quarta-feira (13), sinalização clara que o governo ainda não tem os votos necessários, já que pretende encarar o plenário somente com a questão fechada.

Baleia Rossi
(Valter Campanato/Agência Brasil)

Contato