Em mercados / politica

Ex-Falconi, dono do 'Walmart brasileiro' e herdeiro do Giraffas: os nomes que o Novo pode lançar no sábado

Além do lançamento da candidatura do fundador do partido, João Amôedo, à presidência da república, outros nomes serão lançados para as disputas estaduais

SÃO PAULO - O próximo sábado (18) promete ser marcante para o Partido Novo, que anunciará em seu 3º Encontro Nacional, em São Paulo, a sua estreia em eleições majoritárias. A legenda, que foi pela primeira vez às urnas em 2016 e elegeu quatro vereadores, trará vários nomes conhecidos do mundo do mercado e dos investimentos como postulantes a cargos no Executivo e Legislativo. 

Dentre eles, o nome de destaque é do fundador do partido, João Dionísio Amoêdo, que se candidatará à presidência. Formado em engenharia civil e administração de empresas, Amoêdo foi sócio do banco BBA e vice-presidente do Unibanco e é sócio do instituto Casa das Garças.  

O empresário vem intensificando o discurso de candidato, destacando seu viés de liberalismo econômico nas redes sociais. "A grande vantagem do mercado é a competição. Se o governo deixar um ambiente propício à competição, o consumidor vai definir o que é melhor pra ele. Só vai comprar algo se atender aos interesses dele, dentro de determinado preço, uma troca voluntária", afirmou Amôedo pelo Twitter. 

Black Friday InfoMoney: sua única chance de comprar nossos cursos com 50% de desconto

Em outra postagem no mesmo dia, o pré-candidato deu mais sinalizações de como será o tom da sua campanha. Ele apontou que o Estado não tem que perder tempo administrando empresa de petróleo e bancos, "para poder dedicar mais tempo e recursos para cuidar da saúde, segurança e educação".

Além de Amôedo, os nomes de candidatos a governadores por diversos estados serão anunciados durante o evento. Entre os nomes que aparecem no radar, está o da candidatura de Romeu Zema para o governo de Minas Gerais, de Mateus Bandeira pelo Rio Grande do Sul e de Alexandre Guerra para o Distrito Federal. 

Zema, de Araxá, tem 52 anos, é presidente do Conselho do grupo que leva o seu sobrenome e foi CEO (Chief Executive Officer) entre 1990 e 2016. A corporação atua há 95 anos no setor de varejo de eletrodomésticos não somente em Minas, mas em outros estados como Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás e Mato Grosso do Sul. E, de acordo com perfil feito pela revista Poder, em 2015, Zema já foi comparado ao criador da norte-americana Walmart, Sam Walton (1918-1992), por conta da expansão das suas lojas em cidades pequenas. 

Bandeira, por sua vez, conta com uma experiência mais robusta no setor público. Ex-secretário do Planejamento e ex-presidente do Banrisul, o possível candidato gaúcho ocupou as funções durante o governo Yeda Crusuis (PSDB). Após a sua saída do governo, em 2011, ele assumiu a presidência do INDG, de Vicente Falconi, que posteriormente virou a Falconi Consultores, maior consultoria de gestão do país. Ele deixou o cargo em janeiro deste ano.

Já Alexandre Guerra é herdeiro da rede de restaurantes Giraffas e é membro do Conselho de Administração do grupo, que conta com mais de 400 unidades no Brasil e no exterior. 

Mas outros nomes podem ser anunciados em breve. O Novo ainda sonha com o nome do ex-técnico da seleção brasileira de vôlei Bernardinho que, por enquanto, vem mostrando resistência a uma candidatura. 

No final de junho, na Expert 2017, evento realizado pela XP Investimentos, Bernardinho explicou por que trocou o PSDB pelo Novo e ainda destacou: "quando eu conheci o Novo eu me interessei porque eu posso somar o projeto. Uma vez eu ouvi que enfrentar o Brasil [seleção brasileira de vôlei] era mais do que um jogo, era como se estivessem defendendo uma causa. Eu acredito que as pessoas podem fazer isso e eu quero colaborar. Hoje eu não sou candidato a nada, mas eu quero sim participar de alguma forma. Acho que tem muitas pessoas mais capazes do que eu e quero ajudá-las".

Outra questão é sobre o candidato do partido ao governo de São Paulo. O presidente da Riachuelo, Flávio Rocha, chegou a ser aventado algumas vezes pela imprensa nos últimos meses como o nome da legenda, mas sem nenhuma indicação mais forte sobre o assunto. 

Partido Novo
(Twitter/João Amôedo)

Contato