Em mercados / politica

Grampo com JBS desidrata Aécio Neves; Lula venceria eleições em todos os cenários, mostra pesquisa

Entre os votos espontâneos para presidente, o petista teve 40% das respostas. Na segunda posição aparece Bolsonaro, com 8%, Marina e o juiz federal Sérgio Moro, ambos com 2%

SÃO PAULO - As recentes revelações envolvendo um pedido de recursos em empresário Joesley Batista, dono da processadora de proteína animal JBS, provocaram um derretimento na popularidade do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). É o que mostra pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi entre 2 e 4 de junho, sob encomenda da Central Única dos Trabalhadores. Foram ouvidas 2001 pessoas com mais de 16 anos, em 118 municípios. A margem de erro máxima é de 2,2%, com intervalo de confiança de 95%.

De acordo com levantamento, as intenções de voto estimuladas do parlamentar em um cenário de corrida presidencial, se fosse escolhido candidato tucano, caíram de 9% em abril para 1%. Um ano antes, o mesmo indicador apontava para a marca de 17% do senador atualmente afastado. Nesse cenário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi de 44% para 46% dos votos, enquanto Marina Silva (Rede) oscilou de 10% para 9%. O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi de 11% para 13%, enquanto Ciro Gomes foi de 4% para 5%. Brancos e nulos somaram 20% -- em abril, estavam na faixa de 15% --, enquanto 6% não responderam. 

Outro cenário levantado pelo instituto considerou possível candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pelo PSDB. Neste caso, Lula teve os mesmos 45% registrados dois meses antes, Bolsonaro oscilou de 12% para 13%, enquanto Marina Silva caiu de 11% para 8%. Ciro Gomes, por sua vez, manteve os 4%, ao passo que o tucano foi de 6% para 4%. Brancos e nulos avançaram de 16% para 19% enquanto 6% não souberam responder.

O último cenário levantado para voto estimulado em primeiro turno considerou possível candidatura do atual prefeito de São Paulo, João Doria, como representante tucano. Neste caso, Lula manteve os 45% de abril, as intenções de Bolsonaro variaram de 11% para 12%, ao passo que Marina Silva foi de 11% para 9%. Ciro Gomes manteve os 5% ao passo que Doria foi de 5% para 4%. Brancos e nulos saltaram de 16% para 19%, e 6% não responderam. Sendo assim, em todos as possibilidades avaliadas pelo instituto, Lula seria eleito em primeiro turno se o pleito fosse hoje.

Entre os votos espontâneos para presidente, o petista teve 40% das respostas. Na segunda posição aparece Bolsonaro, com 8%, Marina e o juiz federal Sérgio Moro, ambos com 2%. Com 1% aparecem Ciro Gomes, Joaquim Barbosa, João Doria, Fernando Henrique Cardoso e Geraldo Alckmin.

Nos quatro cenários para segundo turno apresentados pelo Vox Populi sinalizam vitória de Lula: 52% a 11% contra Alckmin; 51% a 13% contra Doria; 50% a 15% contra Marina; e 53% a 5% contra Aécio.

Governo Temer
Os entrevistados também responderam sobre como suas vidas estão desde que Michel Temer assumiu a presidência da República. Para 9%, a situação melhorou, enquanto para 52% piorou e 38% dizem que nada mudou. Do ponto de vista da renda familiar, 4% dizem que houve melhora, enquanto 56% dizem que piorou e 39% responderam não ter visto alterações.

Lula
(/Ricardo Stuckert)

Contato