Em mercados / politica

Após denúncia de gravação, deputados e senadores já pedem impeachment de Temer

"Se for confirmada a veracidade do conteúdo [da gravação], acabou o governo", disse o deputado Afonso Florence (PT-BA)

SÃO PAULO - Bastaram alguns minutos da bomba que caiu no Planalto nesta quarta-feira (17) para que deputados federais pedissem o impeachment do presidente Michel Temer (PMDB). O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, disse que o dono da JBS, Joesley Batista, gravou o peemedebista dando aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha.

O deputado Afonso Florence (PT-BA) foi um dos parlamentares que gritaram pelo impeachment de Temer. Segundo ele, "se for confirmada a veracidade do conteúdo [da gravação], acabou o governo". "Se isso é verdade, a gravação tem de ser verificada, mas isso incinera o governo, a reforma da Previdência. [Tem de ter] o impeachment imediatamente, fica insustentável. O processo tem de tramitar, mas é inexorável", afirmou.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) anunciou que os senadores de oposição se reunirão na noite desta quarta para elaborar um pedido de impeachment do presidente Michel Temer após a denúncia. O senador afirmou que o fato é gravíssimo.

Os senadores Magno Malta (PR-ES) e José Medeiros (PSD-MT) criticaram a postura dos senadores oposicionistas, dizendo que eles não levam delações a sério quando elas envolvem figuras dos seus partidos. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) reforçou a comunicação de Lindbergh e disse que o Senado precisa "levar a sério" a denúncia.

Michel Temer
(Marcos Corrêa/PR)

Contato