Em mercados / politica

Dilma aceita oferecer ministério a Lula para evitar prisão, mas ele rechaça ideia em jantar

Há fortes temores de que a operação possa tentar levar o petista à prisão

SÃO PAULO - Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a presidente Dilma Rousseff concordou em oferecer um ministério ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar que ele possa ser preso na Operação Lava Jato por uma decisão do juiz Sergio Moro.

Ministros do círculo próximo tanto da petista quanto de seu antecessor fizeram numa verdadeira operação nesta terça-feira para convencê-lo a aceitar a oferta, em meio aos fortes temores de que a operação possa tentar levar o petista à prisão. Porém, até o início da noite, antes portanto do jantar com a presidente no Palácio da Alvorada, ele ainda resistia à ideia. 

Em matéria do final da manhã feita pela Folha, foi destacado que Lula rechaçou a ideia ontem à noite, em jantar com a presidente. O tema foi abordado de forma rápida durante o encontro mas, antes mesmo que chegasse a ser feito um convite, ele fez questão de negar a intenção. 

Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo de ontem, após a condução coercitiva do petista na última sexta-feira (4) no âmbito da Operação Lava Jato, dirigentes do PT e interlocutores do ex-presidente avaliam que a ofensiva contra ele pode ainda não ter acabado. Pessoas próximas a Lula ficaram com a impressão de que o objetivo real dos investigadores não era encontrar registros de repasses da empreiteiras investigadas, mas sim indícios de subtração de documentos ou ocultação de provas que pudessem justificar um pedido de prisão de Lula sob alegação de obstruir a Justiça. 

Ainda segundo a coluna Painel, o desespero com os desdobramentos da Lava Jato e com a falta de perspectiva na economia é tão grande que surge no Congresso pressão para que a presidente convoque um conselho com representantes dos três Poderes. O colegiado incluiria Executivo, Legislativo e sociedade civil, mas não o Judiciário, o que, aos olhos do Congresso, é crucial para impor limites à Lava Jato. 

O jornal O Estado de S. Paulo também destaca a pressão em alta para que Lula assuma um ministério. “Aumentou no PT a pressão para que Lula assuma um ministério, para tentar também esboçar uma reação do governo às arbitrariedades que estão ocorrendo”, afirmou um amigo do ex-presidente. Por outro lado, de acordo com uma fonte ouvida pela Bloomberg, Dilma ainda não está convencida da estratégia de nomear seu antecessor como ministro, assim como Lula também não estaria convencido. 

InfoMoney faz atualização EXTRAORDINÁRIA na Carteira Recomendada; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa


Dilma Rousseff e Lula
(Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Contato