Em mercados / politica

Lula entra com ação judicial contra revista Veja e pede reparação de danos morais

São alvos da ação os repórteres que assinam as reportagens de capa da última edição da revista, além do diretor de redação Eurípedes Alcântara por conta de matéria sobre suposta delação premiada do ex-presidente da OAS

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou nesta quarta-feira (29) com ação judicial por reparação de danos morais contra os responsáveis pela matéria de capa da revista Veja da última semana.

Segundo a revista, o ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, teria autorizado seus advogados a negociar um acordo de delação premiada com a força-tarefa da Lava Jato e estaria disposto a fornecer provas do envolvimento de Lula no esquema que abasteceu partidos da base do governo – PT, PMDB e PP – e até da oposição. Os advogados do executivo, contudo, negaram qualquer iniciativa neste sentido.

São alvos da ação Robson Bonin, Adriano Ceolin e Daniel Pereira, que assinam as reportagens de capa da última edição da revista, além do diretor de redação Eurípedes Alcântara.

“O texto é repugnante, pela forma como foi escrito e pela absoluta ausência de elementos que possam lhe dar suporte”, afirmam os advogados de Lula na ação, conforme nota publicada pelo Instituto Lula.

Além disso, a peça alega que, de acordo com jurisprudência do STJ (Superior Tribunal de Justiça), “a liberdade de comunicação e de imprensa pressupõe a necessidade de o jornalista e/ou o veículo pautar-se pela verdade”.

A nota do instituto ainda afirma que a revista apresenta acusações infundadas e sem provas, apresenta ilações como se fossem fatos, atribui falas e atos, não tem fontes e busca atacar, de todas as formas, a honra e a imagem do ex-presidente Lula.

Lula propaganda
(Reprodução)

Contato