Em mercados / politica

CNT/MDA: avaliação positiva do governo Dilma cai para 7,7%; 62,8% são favoráveis ao impeachment

A aprovação pessoal da presidente caiu, passando de 18,9% para 15,3%, enquanto a desaprovação pessoal da presidente aumentou de 79,9%, ante 77,7% da pesquisa de março

SÃO PAULO - A CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgou nesta manhã os resultados da 128ª Pesquisa CNT/MDA. A pesquisa mostrou que a avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff caiu de 10,8% em março para 7,7% em julho.

A avaliação negativa do governo subiu de 64,8% para 70,9%. A aprovação pessoal da presidente caiu, passando de 18,9% para 15,3%, enquanto a desaprovação pessoal da presidente aumentou de 79,9%, ante 77,7% da pesquisa de março. 

Outra má notícia para a presidente é o percentual de eleitores ouvidos que defendem o impeachment da presidente: em março, 59,7% se diziam a favor do impeachment de Dilma; neste mês, 62,8% disseram ser favoráveis ao impedimento da presidente. Cerca de 32,1% são contra o impeachment de Dilma, ante 34,7% de março. Entre os que não souberam ou não responderam passaram de 5,6% em março para 5,1% em julho. 

Perspectiva para a economia
A pesquisa traz também a expectativa da população em relação a emprego, renda, saúde, educação e segurança pública. Cerca de 15% acham que a perspectiva para o emprego vai melhorar, 55,5% acham que vai piorar e 27,5% acreditam que o cenário continuará o mesmo. As perspectivas para a saúde também estão piores: 47,5% acham que a situação piorará, ante 13,6% que acha que vai melhorar e 37,1% que acha que ficará igual. A educação vai melhorar para 15,1%, 41% acham que vai piorar e 42,1% avaliam que a situação irá se manter. 

Em relação à segurança pública, 12,9% acham que ela vai melhorar, 46,2% veem que a situação ficará pior e 39,2% acham que ela ficará igual. 

Lava Jato e corrupção
Dentre os ouvidos pela pesquisa, 78,3% têm acompanhado ou ouviram falar das investigações que envolvem a Petrobras. Sendo que dentro desse grupo, 69,2% consideram que a presidente Dilma é culpada pela corrupção que está sendo investigada e 65,0% acham que o ex-presidente Lula é culpado.

Ainda em relação aos que acompanham ou já ouviram falar, 40,4% consideram que o maior culpado na operação Lava Jato é o governo, seguido de partidos políticos (34,4%), diretores ou funcionários da empresa (14,2%), construtoras (3,5%).

Entre os que acompanham ou ouviram falar das denúncias da Lava Jato, 67,1% não acreditam que os envolvidos em corrupção serão punidos. 86,8% consideram que as denúncias são prejudiciais para a economia do país. 52,5% acreditam que o governo federal não será capaz de combater a corrupção na Petrobras.

Para 90,2% que acompanham ou já ouviram falar, não está ocorrendo exagero em relação às prisões. 37,3% disseram saber o que é delação premiada e, entre grupo, 52,8% são a favor da delação premiada nas investigações da Lava Jato.

Já 53,4% avaliam que a corrupção é um dos principais problemas do país. Para 37,1%, a corrupção é o principal problema, enquanto 7,8% consideram que a corrupção é um problema, porém não está entre os principais.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões, entre os dias 12 e 16 de julho de 2015. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. 

Dilma Rousseff
(Lula Marques/ Agência PT)

Contato