Em mercados

Rating: S&P rebaixa Brasil de BB para BB- e fala em demora para aprovação de reformas

A agência colocou a perspectiva do rating em "estável", o que significa que a nota não deve sofrer novos rebaixamentos nos próximos meses

logo Standard and Poor's
(Charles Platiau/Reuters)

SÃO PAULO - Após semanas de boatos e expectativa, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s cortou o rating do Brasil nesta quinta-feira (11), de 'BB' para 'BB-', citando a demora na aprovação de reformas que levem ao equilíbrio fiscal e o aparente desinteresse da classe política em promovê-las.

Além disso, a agência colocou a perspectiva do rating em "estável", o que significa que a nota não deve sofrer novos rebaixamentos nos próximos meses.

A justificativa para a perspectiva se dá pelo "perfil externo comparativamente sólido do Brasil e a flexibilidade e credibilidade de sua política monetária e cambial", que estão compensando, em parte, as "fraquezas econômicas e fiscais e a incerteza sobre as eleições presidenciais de 2018".

Apesar de reconhecer os avanços do governo, a S&P diz que o Brasil fez "um progresso menor que o esperado em aprovar legislações significativas para corrigir a derrapagem das contas públicas e os níveis de endividamento crescentes".

Sobre o futuro, a agência alertou que pode cortar o rating novamente este ano se "houver uma fraqueza inesperada no balanço de pagamentos que comprometa o acesso ao mercado ou gere uma alta acentuada na dívida externa”. Enquanto isso, a nota do País pode ser elevada se o próximo presidente conseguir levar adiante as reformas fiscais ou se o PIB voltar a crescer de forma compatível "com seus pares com nível similar de desenvolvimento".

O Brasil perdeu o grau de investimento em 2015 e em maio do ano passado a S&P chegou a colocar uma observação negativa para o País, o que indicava uma revisão da nota em 90 dias após o escândalo da JBS. Porém, em setembro a agência retirou esta observação, apesar de sempre manter uma perspectiva negativa para o rating soberano por conta dos problemas políticos.

Quer investir melhor seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

Contato