Em mercados

Estados Unidos anunciam que sairão da Unesco

"Essa decisão não foi tomada facilmente, e reflete as preocupações dos EUA com crescentes contas atrasadas na Unesco, a necessidade de reformas fundamentais na organização e o contínuo viés anti-Israel na Unesco"

SÃO PAULO - Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (12), em Washington, a decisão oficial de deixar a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) a partir de 31 de dezembro deste ano. 

“Essa decisão não foi tomada facilmente, e reflete as preocupações dos EUA com crescentes contas atrasadas na Unesco, a necessidade de reformas fundamentais na organização e o contínuo viés anti-Israel na Unesco”, disse o departamento de Estado norte-americano. O departamento afirmou que os EUA irão buscar “continuar engajados... como Estado observador não membro, de forma a contribuir com as visões, perspectivas e expertise dos EUA”.

A porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert, afirmou em comunicado que a diretora-geral do órgão foi notificada da decisão. Pelo Twitter, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, disse que lamenta profundamente a saída dos EUA do organismo. A retirada é uma derrota para a “família das Nações Unidas” e para o multilateralismo, afirmou. 

“No momento em que a luta contra o extremismo violento exige um renovado investimento na educação, no diálogo entre as culturas para evitar o ódio, é profundamente lamentável que os Estados Unidos se retirem da agência das Nações Unidas que lidera essas questões”, disse Irina em comunicado oficial.

Em 2011, os EUA haviam cancelado contribuição financeira substancial para a Unesco como forma de protesto contra decisão da entidade de conceder ao palestinos o status de membros plenos.

 

Bandeira dos EUA imóveis
(Shutterstock)

Contato