Em mercados

A pergunta de US$ 4,5 trilhões que o mercado quer que o Fed responda amanhã

A alta de juros já é certa, mas há um outro ponto que os investidores ficarão bastante atentos no anúncio desta quarta-feira (14)

SÃO PAULO - Tem início nesta terça-feira (13) a reunião de dois dias do Federal Reserve, que amanhã deve anunciar uma nova alta de juros nos Estados Unidos. Mas enquanto o mercado já precifica esta elevação das taxas, um outro ponto deve ser foco de atenção dos investidores: o balanço patrimonial do Fed.

Este balanço subiu para US$ 4,5 trilhões quando o Fed comprou títulos durante o programa de flexibilização, o Quantitative Easing. Foi com esta política que a autoridade americana conseguiu ajudar a resgatar a economia dos EUA da crise financeira e, mais tarde, evitar que ela voltasse para a recessão.

O mercado espera que o Fed eleve as taxas de juros nesta quarta-feira, e também espera a divulgação de mais detalhes sobre como planeja reduzir a montanha de títulos de Tesouro e hipotecários que detém. Cerca de US$ 2,5 trilhões desses títulos são Treasuries.

"Isso é o que todos estarão procurando. Não acho nenhuma surpresa que eles vão subir 25 pontos-base. Será uma questão de como eles incorporam isso com o balanço. Se eles não falarem muito sobre isso, será visto como muito dovish pelo mercado", disse Jim Caron, gerente de renda fixa do Morgan Stanley, para a CNBC.

Em janeiro, a presidente do Fed, Janet Yellen, afirmou que o balanço do Fed "continua a pressionar consideravelmente os juros de longo prazo". Este quadro pode começar a se desfazer junto com a redução do balanço, acrescentou, afirmando que o juro dos Treasuries de 10 anos pode crescer 0,15 ponto porcentual este ano por causa do movimento, o que traria uma pressão de alta para o dólar.

Janet Yellen
(Bloomberg)

Contato