Em mercados

Moody's rebaixa nota soberana do Brasil para Ba2, nível "junk"; perspectiva é negativa

Segundo destacou a agência, o corte da nota foi catalisado pela perspectiva de deterioração adicional das métricas da dívida do País em um cenário de baixo crescimento

SÃO PAULO - A agência de classificação de risco Moody's rebaixou a nota soberana do Brasil para dois degraus, sendo a última das três grandes a rebaixar o Brasil para grau especulativo, ou "junk". A nota foi cortada de Baa3 para Ba2. A perspectiva é negativa. 

Segundo destacou a agência, o corte da nota foi catalisado pela perspectiva de deterioração adicional das métricas da dívida do País em um cenário de baixo crescimento. Os desafios políticos também são citados pela agência, que destaca a falta de progresso do governo em alcançar seus objetivos de reformas fiscais e econômicas e a expectativa de que atual dinâmica política seja mantida nesse período.

A Moody's destaca que a consolidação fiscal do Brasil é lenta e vê a dívida acima de 80% do PIB"Os próximos dois ou três anos devem ser de crescimento anêmico para o Brasil", afirma.  

"As métricas de crédito do Brasil sofreram deterioração significativa desde a atribuição do rating Baa3, com perspectiva estável, em agosto de 2015. Espera-se que a deterioração continue nos próximos três anos devido à intensidade do choque para a economia brasileira, a falta de progresso do governo em alcançar seus objetivos de reformas fiscais e econômicas e a expectativa de que atual dinâmica política seja mantida nesse período", afirma a agência. 

Segundo a Moody's, o rebaixamento para Ba2 visa capturar a deterioração em curso, enquanto a perspectiva negativa contempla os riscos de deterioração adicional no perfil de crédito do Brasil oriundos de choques macroeconômicos, aprofundamento da paralisia política ou a necessidade de suporte a entidades relacionadas ao governo.

A Moody's aponta ainda que uma elevação é bastante improvável no curto prazo devido à perspectiva negativa e à esperada deterioração nos indicadores de dívida no horizonte de rating. No entanto, pressões positivas sobre o rating podem surgir se as autoridades forem capazes de ordenar os desequilíbrios estruturais que levaram a uma persistente deterioração fiscal e ao aumento da dívida soberana.

 

Confira a metodologia de notas das principais agências (nota do Brasil em vermelho):

S&P Moody´s Fitch Grau
AAA
AA+
AA
AA-
A+
A
A-
BBB+
BBB
BBB-
Aaa
Aa1
Aa2
Aa3
A1
A2
A3
Baa1
Baa2
Baa3
AAA
AA+
AA
AA-
A+
A
A-
BBB+
BBB
BBB-
Investimento
BB+
BB
BB-
B+
B
B-
CCC
CC
C
D
Ba1
Ba2
Ba3
B1
B2
B3
Caa
Ca
C
Wr
BB+
BB
BB-
B+
B
B-
CCC
CC
C
D
Especulativo

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

brasil

Contato