Por Lara Rizério Em mercados  13 fev, 2015 08h08

Socialista? Governo de Hugo Chávez depositou US$ 12 bi no HSBC, revela Swissleaks

Entre 2005 e 2007, descobriu-se que o governo venezuelano fez depósitos de US$ 12 bilhões  em quatro contas bancárias na sede do HSBC na Suíça

Por Lara Rizério Em mercados  13 fev, 2015 08h08

SÃO PAULO - Morto em 2013, o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez sempre defendeu a revolução socialista. Mas, ao olhar as contas do seu governo no exterior, revelada pelo Swissleaks, ele não parece ter seguido os princípios que nortearam sua vida política.

Logo após a divulgação de que diversas figuras ilustres possuem contas no HSBC na Suíça - e o banco admitir que elas poderiam ser um facilitador para a sonegação, descobriu-se também que o governo venezuelano fez depósitos de US$ 12 bilhões  em quatro contas bancárias na sede do HSBC na Suíça entre 2005 e 2007.

De acordo com os documentos que ganharam evidência nesta semana após o vazamento feito pelo ex-técnico de informática do banco Hervé Falciani e divulgados pelo jornal francês “Le Monde”, três nacionalidades se destacavam entre os que tinham contas no banco: britânicos, suíços e venezuelanos.

E cerca de 85% do dinheiro dos venezuelanos pertencia a quatro contas abertas pelo governo do país, abertas em nome da Tesouraria Nacional e do Banco do Tesouro. Aliás,o Banco do Tesouro da Venezuela havia sido instituído apenas dois meses antes quando abriu uma conta de US$ 9,5 bilhões no banco para, cinco meses depois, fazer mais um depósito de US$ 2,2 bilhões em duas contas paralelas. 

A lista de clientes do HSBC suíço  também inclui governantes e membros da realeza, como o rei do Marrocos, Mohammed, políticos, executivos de empresas, incluindo o ex-presidente do Santander Emilio Botín, que morreu no ano passado, e famílias ricas.

Hugo Chávez às armas
(Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

Contato