Em mercados

Projeções de Mantega para o PIB do Brasil são "piada", destaca blog do FT

Beyond Brics destaca que a revisão das projeções do PIB, de 3,5% para 3% ao ano pelo ministro pouco chamou a atenção, pois ninguém mais leva a sério as expectativas de Mantega

SÃO PAULO - O otimismo do ministro da Fazenda, Guido Mantega, com relação ao crescimento brasileiro foi mais uma vez destaque na imprensa internacional, desta vez pelo blog do jornal Financial Times, o Beyond Brics. O blog ressalta, em postagem da noite da última segunda-feira, que ninguém prestou muita atenção quando Mantega reduziu a previsão de crescimento oficial do governo, passando de 3,5% para 3% em 2013. Os jornais brasileiros quase não mencionaram a previsão e havia poucos vestígios do anúncio no Twitter. "E isso não é surpreendente", aponta o blog.

"Ao longo dos últimos anos, o ministro se tornou alvo de piadas - tanto no Brasil quanto no exterior - para seu otimismo em série quando se trata de estimar a taxa de crescimento do país", aponta. 

O Beyond Brics recorre ao ocorrido no ano passado, quando Mantega chamou a previsão de crescimento do Credit Suisse para 2012, de 1,5%, de "piada". Até maio, o ministro prometia entregar um crescimento de 4,5% ao ano. Entretanto, as projeções do Credit na verdade se revelaram até otimistas e o Brasil registrou um avanço de 0,9% no PIB em 2012. 

Mantega saiu em defesa própria na véspera, afirmando aos repórteres que "não se pode mudar as previsões do PIB como se muda de roupa". Mas, ressalta o blog, mesmo com a redução das estimativas, em meio ao cenário mais deteriorado, ela ainda parece bastante fora de sintonia em relação ao consenso atual dos economistas. De acordo com as projeções reveladas pelo último boletim Focus, que revisou para baixo as suas estimativas pela décima vez seguida, o PIB brasileiro deve crescer 2,28% neste ano. Alguns economistas falam em crescimento abaixo de 2% no ano.

Conforme destaca a Nomura, a economia brasileira entrou no atual período turbulento já bastante delibitada, com as vendas do varejo crescendo consistentemente abaixo da média, apesar da produção industrial mostrar alguma resistência. Levando em conta o aperto das condições financeiras sobre os investimentos e o consumo, as expectativas também são de baixa. Com isso, a Nomura espera um crescimento de apenas 1,6% em 2013. 

Neste cenário, o Deutsche Bank também reduziu as suas perspectivas para o crescimento do PIB brasileiro, que passou de 3% para 2,4% neste ano, avaliando com cautela a volta do investimento no País dada a confiança medíocre dos empresários na economia e em meio à turbulência do mercado. Para 2014, a projeção caiu de 3,8% para 3,1%. O cenário para o segundo semestre não parece tão promissor quanto Mantega imagina. 

Guido Mantega - 30/01/13
(Ueslei Marcelino/Reuters)

Contato