Em mercados / cambio

Recuperação do dólar está com os dias contados e uma venda pode ser acionada, aponta diretor de câmbio

Segundo diretor de câmbio, teste da faixa de R$ 3,26 oferece oportunidade de venda

Dólar
(Marcos Santos/USP Imagens)

SÃO PAULO - Depois de amargar quatro semanas consecutivas de queda, o dólar encontrou maior pressão de compra sobre a faixa de R$ 3,14 e na semana passada deu um fim nesta sequência ao subir 1,95%, mas essa recuperação está com os dias contados por conta de uma importante resistência, assim aponta o diretor da mesa de câmbio da Wagner Investimentos, José Faria Júnior.

Segundo Faria, o movimento acompanhado pela moeda não passa de um repique, ou seja, nada que altere a tendência principal de baixa. Neste sentido, as vendas devem começar pesar já que estamos diante de R$ 3,26, principal resistência de curto prazo. Segundo o diretor, enquanto o dólar seguir abaixo deste patamar, a tendência de baixa da moeda seguirá intacta.

Olhando para o gráfico diário, fica fácil entender porque R$ 3,26 é uma barreira importante. Além de passar a média móvel exponencial de 50 dias, importante referência de resistência de curto prazo, foi neste patamar que o dólar consolidou topo em 23 de janeiro, um dia antes da condenação do Lula no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), resultado que culminou na queda de 2,81% da divisa.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta

O que fazer?
Em vista da importância da resistência e por se tratar apenas de um repique, cresce a expectativa pela formação de um candle de reversão ao teste de R$ 3,26, momento que o trader deve ficar muito atento, pois sua confirmação oferecerá uma oportunidade de venda, tendo como objetivo o teste do fundo cravado entre R$ 3,15 e R$ 3,14. O stop loss deve ser determinado a partir do rompimento de R$ 3,26.

Contato