Em mercados / bitcoin

Banco suíço cria primeiro valuation de Bitcoin e dá uma grande má notícia para os investidores

Analista criou uma fórmula para a criptomoeda e vê que preço está muito acima do que poderia ser considerado justo

Bitcoin
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Um dos grandes debates sobre o bitcoin é como saber se o preço que ele está valendo hoje está alto ou baixo. Técnicas de valuation para criptomoedas ainda estão começando a ser desenvolvidas, mas a equipe de analistas do Credit Suisse na Austrália diz ter chego no que eles chamam de "valor justo" do bitcoin. E ele é bem menor do que a moeda vale hoje.

Segundo o analista Damien Boey, o valor da maior criptomoeda do mundo deveria ser de US$ 6 mil, indicando que a moeda, mesmo com a queda recente, ainda tem espaço para cair quase 50% em relação ao atual patamar, de US$ 11.700.

Ele acredita que o preço do bitcoin se dá, em primeiro lugar, em função do network value, ou seja, pelo aumento de pessoas que usam a rede da moeda, algo semelhante ao que acontece com o Facebook. Em outro ponto, ele destaca também o efeito das mudanças nos spreads de crédito BBB, que, segundo Boey, explica mais de 95% da variação do bitcoin.

O analista estima que que um aumento de 1% no spread de crédito BBB, causaria uma redução de 100 pontos-logarítmicos no preço do bitcoin. "No extremo, isso poderia implicar que a alavancagem tem sido utilizada para financiar investimentos no bitcoin ao longo do tempo".

"Alternativamente, isso poderia significar simplesmente que a avaliação de bitcoin é altamente sensível a qualquer coisa que tenha impulsionado os spreads de crédito nos últimos anos (por exemplo, o programa de flexibilização quantitativa dos bancos centrais)", afirma Boey no relatório.

Com os spreads próximos das mínimas históricas, os bancos centrais provavelmente devem reduzir a compra de ativos, contribuindo para um aumento dos spreads, o que levaria a um queda do preço do bitcoin, avalia ele. Além disso, há ainda um risco grande por conta de possíveis restrições dos Bancos Centrais, caso estes percebam uma ameaça ao "status quo".

Boey disse que há uma certa ironia neste cenário, dado que o criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, lançou a moeda como um "antídoto" aos sistemas monetários controlados pelos bancos centrais propensos a manipulação. Porém, com base nesta correlação do Bitcion com os spreads de crédito, parece que os programas de flexibilização quantitativa dos bancos centrais globais podem, de fato, ter servido para sustentar o valor de Bitcoin.

Por fim, o analista afirma que o Bitcoin representa uma oportunidade de compra caso os investidores consigam encontrar uma maneira de modelar efetivamente a dinâmica do mercado.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato