Em mercados / acoes-e-indices

PDV custará R$ 4 bi à Petrobras, 4 recomendações, acordos Brasil-China e mais notícias no radar

Confira os principais destaques corporativos desta sexta-feira (2)

Petrobras - Bloomberg

SÃO PAULO - O noticiário corporativo é movimentado nesta sexta-feira, com destaque para revisões de recomendações, PDV da Petrobras e acerto da compra de fatia da CPFL. Confira o que movimenta o mercado nesta sexta-feira (2): 

Petrobras
O Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) multou a Petrobras (PETR3;PETR4) em R$ 12,5 milhões por conta de uma mancha de óleo que causou poluição nas praias de Atalaia, em Sergipe, em maio deste ano. Na ocasião, quatro quilômetros de praias foram poluídos, mas a origem do derramamento ainda não havia sido determinada.

"Após análises laboratoriais, a Petrobras assumiu a autoria do acidente, concluindo que o emissário submarino do Polo Atalaia (conhecido como PAP-1) foi o causador da mancha", disse o Ibama em nota. O Instituto ainda informou que a substância se tratava de mistura de sulfeto de ferro com traços de óleo, compatível com o petróleo produzido na Bacia de Sergipe-Alagoas.

A Petrobras ainda informou que 11.704 empregados aderiram ao Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário de 2016, o que representa um custo de aproximadamente 4 bilhões de reais.

Segundo a estatal, o número ainda pode ser alterado, em função de inscrições realizadas em papel e postadas até 31 de agosto. A empresa disse ainda que, até a data de homologação da rescisão, os empregados podem desistir da adesão. O cronograma de desligamentos foi iniciado em 16 de junho e, até o momento, 2.450 empregados tiveram seus contratos de trabalho encerrados.

Bradespar
Destaques para uma matéria da Bloomberg, ressaltando que alguns analistas estão dizendo que a Bradespar (BRAP4) é o último grande negócio do impeachment na bolsa. Os analistas seguem apostando que Michel Temer está mais propenso a renovar o acordo de acionistas da Valepar do que sua antecessora, conforme ressalta o analista Paschoal Paione, da Votorantim Corretora, tem preço-alvo de R$ 13,50 para Bradespar, uma valorização de mais 29% dos R$ 10,46 do fechamento de quinta-feira e de mais de 30% em relação à 4ª-feira, dia em que o impeachment foi confirmado.

"O temor de que Dilma iria desfazer o acordo de quase duas décadas - que dividia o controle da Vale entre Bradespar, Mitsui, BNDES e um grupo de fundos de pensão liderado pela Previ - levou os papéis da empresa para o menor nível em 13 anos em fevereiro. O preço da ação já triplicou desde a mínima de 2016, e pode subir ainda mais, uma vez que acordo seja renovado após sua expiração em abril de 2017", diz Paione. A Bradespar não quis comentar. 

Comgás
A Comgás (CGAS5) teve a sua recomendação rebaixada de outperform para market perform pelo Itaú BBA, passando a ter preço-alvo de R$ 60,00 para 2017, ante R$ 49,00 em 2016, destacando o valuation esticado da companhia. Apesar do rebaixamento, os analistas do banco reforçam uma visão positiva para a companhia, dada  as operações da companhia e e sua capacidade de gerar caixa e pagar dividendos.

Setor farmacêutico
O Brasil Plural elevou a recomendação para as ações da Raia Drogasil (RADL3) e da Hypermarcas (HYPE3) de neutro para outperform, enquanto segue com recomendação outperform para a Profarma (PRFRM3). O preço-alvo para as ações da Raia Drogasil para 2017 é de R$ 80,00 e de R$ 32,00 para a Hypermarcas. O preço-alvo para a Profarma é de R$ 14,00. 

Embraer
A Embraer (EMBR3) assinou acordo com a companhia aérea chinesa Colorful Ghizou para a venda de até cinco E190. O contrato tem valor estimado de R$ 249 milhões.  

CPFL
A State Grid comprou fatia de 23,6% da Camargo Corrêa na CPFL (CPFE3). A chinesa State Grid assinou acordo com Camargo Corrêa nesta sexta-feira para comprar 23,6% do capital da CPFL, segundo comunicado no website da companhia chinesa. O comunicado não traz detalhes financeiros do negócio. A aquisição estabelece base para State Grid explorar Brasil e outros mercados sul-americanos

A venda da participação ocorreu ao preço de R$ 25 reais e o negócio precisa ser aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), informou a CPFL em comunicado ao mercado. 

Em 12 de agosto, a State Grid fechou acordo para assumir controle da CPFL Energia depois que dois controladores aceitaram vender suas participações de US$ 5,9 bilhões à empresa chinesa, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

TIM
A TIM Participações (TIMP3) informou a eleição de Adrian Calaza para o cargo de Diretor Financeiro (Chief Financial Officer), cuja efetiva posse no cargo ficará condicionada à obtenção das autorizações necessárias à concessão do visto pertinente, em substituição ao Guglielmo Noya.

Par Corretora
Marcus Martino foi eleito diretor financeiro e de RI da Par Corretora (PARC3). Martino substituirá João Domingos Martins Villas, que renunciou, segundo comunicado.

Oi
A Oi (OIBR4) apresentará plano de recuperação à Justiça no dia 5, ressaltam jornais. O plano, que inclui redução do valor da dívida em até 70%, emissão de novas ações e prazo de pagamento superior a 15 anos, vai propor algumas alternativas para cada uma das 4 classes de credores, diz O Globo, citando fontes não identificadas e próximas ao processo.

Os detentores de títulos emitidos no exterior terão desconto de até 70% e vão receber restante em ações a serem emitidas pela companhia. Os bancos terão descontos nos valores que foram emprestados sendo que cada instituição financeira terá carência diferente e prazo superior a 15 anos para receber o montante emprestado. O O Conselho da Oi vai deliberar sobre proposta de recuperação judicial na próxima segunda-feira.

O contato da Oi com credores na fase de elaboração do plano de recuperação tem sido muito esparso, diz Valor Econômico, citando investidores não identificados.

Multiplan
A Multiplan (MULT3) assinou compromisso de aquisição de participações equivalentes a 10,3% da área bruta locável do BarraShopping e 8% da ABL do MorumbiShopping pertencentes à Fundação Sistel de Seguridade Social, disse empresa em fato relevante.

Com a operação, a Multiplan elevará sua participação na ABL dos referidos empreendimentos para 61,3% e 73,7%, respectivamente. A operação no valor total de R$ 495,9 milhões, sendo R$ 311,2 milhões referentes ao BarraShopping e R$ 184,7 milhões referentes ao MorumbiShopping. A conclusão do negócio está sujeita ao cumprimento de determinadas condições resolutivas e aprovações exigidas por lei, diz Multiplan. O Santander espera reação positiva às transações, enquanto o BTG Pactual destaca que a aquisição foi positiva e, mesmo com o acordo, a alavancagem da empresa segue em níveis confortáveis. "Nós seguimos com recomendação de compra para a Multiplan, a nossa top pick do setor". 

Bancos
A agência de classificação de risco Fitch reafirmou o rating dos três maiores bancos privados do país: Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC3; BBDC4) e Santander (SANB11).

Cemig
A Cemig (CMIG4) firmou uma parceria com a agência de comércio e desenvolvimento do governo dos Estados Unidos, que resultará em um investimento de R$ 4,2 milhões em projetos de energia renováveis e de telecomunicação. De acordo com a companhia, o primeiro projeto envolve estudos que auxiliarão no fluxo de energia renovável e de outros recursos de geração distribuída na rede da Cemig.

Wilson Sons 
A Wilson Sons (WSON33) informou que o conselho diretor do FMM (Fundo da Marinha Mercante) aprovou no último dia 25 de agosto a prioridade da companhia para a utilização de recursos da ordem de US$ 49,6 milhões. O valor é destinado à construção de seis rebocadores no estaleiro da Wilson Sons no Guarujá (SP). 

Contato