Em mercados / acoes-e-indices

Lucro do BB mais que dobra e soma R$ 7,47 bi e Gol reduz prejuízo; veja mais

Contudo, ao retirar efeitos extraordinários, lucro do banco teve queda de 11,8%; já CCR vê seu lucro aumentar 35,7%

loja shopping
(Thinkstock)

SÃO PAULO - Na reta final da temporada de resultados, diversas companhias divulgam os seus números do segundo trimestre entre a noite da véspera e a manhã desta terça-feira (13). Em destaque, o Banco do Brasil (BBAS3) teve lucro líquido de R$ 7,47 bilhões no segundo trimestre, cerca de duas vezes meia acima do resultado positivo obtido um ano antes, impulsionado pela venda de ações de sua área de previdência, seguros e capitalização, BB Seguridade (BBSE3).

O lucro líquido ajustado do maior banco da América Latina foi de R$ 2,63 bilhões, queda de 11,8 % sobre o ganho do segundo trimestre de 2012, mas em linha com as previsões dos analistas consultados pela Reuters.

Gol reduz prejuízo em 39,5%
A empresa aérea Gol (GOLL4) teve prejuízo de R$ 433 milhões no segundo trimestre, uma redução de 39,5% sobre igual período do ano passado, e revisou algumas de suas projeções para 2013.

O Ebitdar (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e aluguel de aeronaves) totalizou R$ 235,1 milhões entre abril e junho, revertendo o valor negativo em R$ 62,4 milhões um ano antes.

A Gol reduziu a expectativa de custo operacional por assento disponível por quilômetro, excluindo combustível, para entre 9,5 centavos e 10 centavos de real. Já a previsão para taxa de câmbio média foi elevada para uma faixa entre R$ 2,10 e R$ 2,20. 

CCR fecha trimestre com lucro de R$ 304,4 mi
A empresa de concessões públicas de transportes CCR (CCRO3) encerrou o segundo trimestre com lucro líquido 35,7% superior a registrado no mesmo período do ano passado, e em linha com as estimativas, em meio ao avanço da receita líquida e redução das despesas financeiras.

A companhia anunciou nesta segunda-feira que teve lucro líquido de R$ 304,4 milhões no segundo trimestre, ante lucro de R$ 224,3 milhões no mesmo período de 2012.

A previsão média de quatro analistas consultados pela Reuters apontava para a companhia um lucro líquido de R$ 299 milhões no período.

A receita líquida subiu 15,7% no período, para R$ 1,247 bilhão, enquanto o custo de serviços prestados cresceu 33,8%, a R$ 660 milhões.

BR Malls registra alta de 18,6% na receita
A rede de shopping centers BR Malls (BRML3) viu um descolamento entre receita e lucro líquidos neste trimestre, conforme mostra o balanço da companhia, divulgado após o pregão desta segunda-feira (12).

A empresa registrou alta de 18,6% na receita, marcando R$ 315,3 milhões, enquanto o lucro líquido ficou em R$ 184,6 milhões - uma retração de 60% em comparação com o mesmo período de 2012. Contudo, o lucro líquido ajustado teve alta de 11,3%, batendo R$ 122,61 milhões. 

O Ebitda da companhia também apresentou recuo. De R$ 953,4 milhões no segundo trimestre de 2012 para R$ 596,2 milhões agora - uma queda de 29,3%. Segundo o relatório, a BR Malls se mostra como mais uma empresa a sofrer com a valorização do dólar - mesmo sendo voltada totalmente para o mercado interno.

São Martinho: lucro cresce mais de 14 vezes
A produtora de açúcar e etanol São Martinho (SMTO3) viu seu lucro líquido crescer exponencialmente em 1360,4% no comparativo entre o segundo trimestre deste ano e o mesmo período do ano passado, marcando a cifra de R$ 34,7 milhões.

A receita também apresentou significativa alta de 80,5%, somando R$ 396,2 milhões entre abril e junho deste ano, período que se refere ao primeiro trimestre da safra de 2014. A escalada do lucro líquido está diretamente relacionada ao Ebitda ajustado, que subiu 95,8%, somando R$ 211,6 milhões.

Como motivos dos resultados positivos, a São Martinho destacou o “aumento do volume vendido de todos os produtos, como consequência do aumento da moagem [que totalizou 5,5 milhões de toneladas até junho de 2013, 90% a mais que a safra passada] e o menor custo unitário de produção de açúcar e etanol”.

Lucro de Even cresce 50% em comparação com 1º tri
A construtora Even (EVEN3) registrou lucro líquido de R$ 90,481 milhões, alta de 49,88% em comparação com o primeiro trimestre deste mesmo ano. A receita cresceu 45,66% no mesmo comparativo, somando R$ 724,40 milhões.

Alta também foi vista no Ebitda, que cresceu 50% e marcou R$132,2 milhões. A margem Ebitda ajustada teve alta de 0,6 ponto percentual.

Vale destacar também a alta de 6,8% na dívida líquida da companhia, que saltou para R$ 1,14 milhões no último trimestre. A Evens possui alavancagem (dívida líquida/ patrimônio líquido) de 51,8%.

Dasa registra alta do lucro no 2º tri
A Diagnósticos da América - Dasa - (DASA3) teve lucro maior no segundo trimestre, período em que registrou aumento das receitas com laboratórios e unidades hospitalares.

De abril a junho, a empresa registrou lucro líquido de R$ 35,2 milhões, alta de 51,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O Ebitda foi de R$ 110,8 milhões no período, alta de 7,6% na comparação anual.

A receita operacional líquida atingiu R$ 631,3 milhões no trimestre, alta de 10,4% na comparação anual.

O segmento hospitalar foi destaque, com receita consolidada de R$ 70,6 milhões no segundo trimestre, alta de 16,1%  quando comparado ao mesmo período do ano anterior, representando 10,1% do faturamento trimestral da Dasa.

De acordo com a empresa, o avanço no segmento foi "resultado do inicio da operação de novos hospitais e expansão do atendimento aos hospitais existentes".

EzTec: lucro avança mais de 70%
A construtora e incorporadora Eztec (EZTC3) registrou um avanço de mais de 70% no lucro líquido do segundo trimestre, apoiada em maior velocidade de vendas e execução de obras.

O lucro foi de R$ 136,4 milhões entre abril e junho, ante R$ 80 milhões no mesmo período de 2012, informou a companhia nesta segunda-feira.

"O maior volume de lançamentos com maior volume de vendas foram indicadores muito fortes. Isso impacta em maior reconhecimento de receita", disse o diretor financeiro e de relações com investidores, Emílio Fugazza.

Segundo ele, a companhia encerrou o trimestre com 32 obras em andamento, o que também implica em um maior reconhecimento de receitas, com uma diluição das despesas administrativas e comerciais e um resultado financeiro menor.

O cenário macroeconômico adverso não afetou as vendas da companhia no trimestre, de acordo com o executivo, que também não vê maior impacto nos próximos meses.

"As notícias ruins não batem com o cenário que estamos vivendo", afirmou Fugazza.

As vendas contratadas, líquidas de distratos e corretagem, atingiram R$ 363 milhões no segundo trimestre, alta de 141,6% na comparação anual. A venda de estoques representou 55% do total no trimestre, informou a Eztec.

Os lançamentos de abril a junho foram de R$ 431,8 milhões, 116% maior do que o resultado um ano antes, chegando a R$ 1,288 bilhão no semestre.

O montante de janeiro a junho representa 55,7% do ponto médio da meta de lançamentos para o ano, de R$ 1,2 bilhão a R$ 1,4 bilhão. Assim, a receita líquida da Eztec cresceu 75 por cento, a 275,6 milhões de reais.

No trimestre, o cancelamento de vendas cresceu 102,4%, a R$ 15,2 milhões, devido a um maior número de entrega de obras no período em relação ao ano passado, segundo o executivo.

"A relação dos cancelamentos sobre a receita representou pouco menos que 5% no semestre. Esse percentual não vai subir dos 5% (no ano)", afirmou Fugazza.

A companhia encerrou o trimestre com Ebitda de R$ 133 milhões de reais, avanço anual de 77,6%. A margem Ebitda foi de 48,3%, ante 47,6% no segundo trimestre de 2012.

Qualicorp vê lucro despencar 88,6%
O lucro líquido da administradora de planos de saúde Qualicorp (QUAL3) despencou na comparação com o mesmo período do ano anterior, afetado pela aquisição da empresa de planos de saúde coletivos Aliança e pelo aumento das perdas com inadimplência.

De abril a junho, a Qualicorp teve lucro líquido de R$ 1,6 milhão, queda de 88,6% ante os R$ 13,7 milhões registrados no mesmo período do ano passado.

O Ebitda foi de R$ 91,2 milhões, 40,6% acima dos R$ 64,8 milhões registrados de abril a junho de 2012.

Excluindo-se os efeitos da compra da Aliança, o lucro líquido da companhia atingiu R$ 36,6 milhões, aumento de 108,6% na comparação anual.

No segundo trimestre, a empresa reconheceu R$ 34,8 milhões em despesas financeiras relacionadas à atualização monetária sobre opção de compra da Aliança.

A carteira de beneficiários da empresa atingiu 4,5 milhões de pessoas, aumento de 12,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Marisa vê lucro recuar 18,5%
A Lojas Marisa (AMAR3) teve um lucro líquido de R$ 38,8 milhões no segundo trimestre de 2013, registrando baixa de 18,5% na comparação com abril e junho de 2012.

O Ebitda do segundo trimestre somou R$ 122,6 milhões, com alta de 1,6% na comparação anual. A margem Ebitda passou de 16,5% para 17,3%.

A receita líquida de abril a junho foi de R$ 744,6 milhões, 6,6% maior na comparação com os mesmos meses de 2012.

Prejuízo da Suzano recua 6,3%
O prejuízo líquido da Suzano Papel e Celulose (SUZB5) ficou em R$ 247,5 milhões no segundo trimestre deste ano, mostrando recuo de 6,3% em relação ao resultado negativo visto no mesmo período do ano passado. A receita líquida da empresa avançou 0,8% na mesma base comparativa, para R$ 1,334 bilhão.

Já o Ebitda da companhia subiu 72,8%, chegando a R$ 515 milhões no 2º trimestre deste ano - o Ebtida ajustado registrou R$ 408 milhões, com alta de 36,9% em relação ao mesmo período de 2012.

Abril Educação vê aumento de 61% na receita líquida
A receita líquida da Abril Educação (ABRE11) totalizou R$ 164,7 milhões no segundo trimestre deste ano, mostrando alta de 61% em relação ao mesmo período de 2012, mas segundo o relatório de divulgação de resultados da companhia, esse montante reúne receitas de ensino e editoras, que estão sujeitos a antecipações ou postergações que podem afetar o resultado. Com ajustes para compensar as distorções causadas por esses setores, a receita seria de R$ 156,5 milhões, mostrando alta de 50% na mesma base comparativa.

Já o prejuízo líquido da empresa caiu de R$ 20,5 milhões no 2º trimestre de 2012 para R$ 8,8 milhões neste ano. O Ebitda da companhia alcançou R$ 24,8 milhões, ante resultado negativo de R$ 25,1 milhões visto no ano anterior. A margem Ebitda subiu 40 pontos percentuais na mesma comparação, para 15%.

JSL vê lucro líquido subir 50%
A JSL (JSLG3) viu o lucro líquido consolidado subir 50,1%, para R$ 22,7 millhões no segundo trimestre. O resultado, segundo a companhia, baseia-se por melhorias no resultado financeiro em meio ao menor custo da dívida e de despesas administrativas. 

Enquanto isso, a receita consolidada da companhia subiu 17,3%, para R$ 1,16 bilhão. Já o Ebitda recorrente teve alta de 11,4%, para R$ 162,8 milhões. A margem Ebitda, por sua vez, foi reduzida para 18,2%, queda de 2,4 pontos percentuais na comparação com o mesmo período de 2012. 

Lucro do Banco Pine recua 15% no 2º trimestre
O lucro líquido do Banco Pine (PINE4) caiu para R$ 39 milhões no segundo trimestre deste ano, recuo de 15,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Já o ROE anualizado da instituição recuou de 18,7% no segundo trimestre de 2012 para 12,9% neste ano.

O índice de basileia do Pine avançou de 15,9% para 17%, na mesma base comparativa e o índice de eficiência passou de 28,2% no segundo trimestre do ano passado para 38,1% no mesmo período de 2013.

Renova Energia tem prejuízo líquido de R$ 5,77 milhões
A Renova Energia (RNEW11) registrou um prejuízo líquido de R$ 5,77 milhões no segudno trimestre, 242% maior na comparação com o mesmo período de 2012. Já o Ebitda ficou positivo em R$ 32,30 milhões, ante resultado negativo de R$ 204 mil entre abril e junho do ano passado.

Enquanto isso, a receita operacional líquida ficou em R$ 54,42 milhões, com alta de 430,1% frente ao mesmo período do ano passado. O resultado financeiro, por sua vez, ficou negativo em R$ 19,3 milhões ante resultado positivo de R$ 1,17 milhão no segundo trimestre. 

IMC reduz prejuízo para R$ 2 milhões
A IMC Holdings (IMCH3) teve um prejuízo líquido de R$ 2 milhões no segundo trimestre, com queda frente aos R$ 2,8 milhões na comparação com o mesmo período do ano passado. Já a receita líquida da companhia foi de R$ 319,2 milhões no período, com crescimento de 13,7% frente a abril e junho do ano passado.

O Ebitda ajustado, por sua vez, teve alta de 5,9%, passando de R$ 33,6 milhões para R$ 35,6 milhões. A margem Ebitda ajustada teve queda de 0,8 ponto percentual, para 11,1%.  

(Com Reuters)

Contato