Em viavarejo

Via Varejo promete integração de lojas físicas e online em 30 de junho

Após resultados fracos, varejista tem confiança em evolução "consistente e sequencial" nos próximos trimestres, desde que a execução do planejamento seja "impecável"

Via Varejo Ponto Frio
(Divulgação/Via Varejo)

SÃO PAULO – A integração entre as operações física e digital das marcas da Via Varejo está ocorrendo dentro do esperado, de acordo com Peter Estermann, presidente da empresa que controla Casas Bahia, Ponto Frio, Extra.com e Bartira.

Em conferência com analistas após a divulgação de resultados, o executivo disse que a sinergia estará completa no dia 30 de junho, permitindo que a empresa colha os frutos a partir do segundo semestre deste ano. “Não vejo neste momento nada que possa atrapalhar esse planejamento”, aponta.

Esse movimento é amplamente aguardado pela companhia e seus acionistas pelo potencial de impulsionar uma operação em dificuldades há vários balanços.
No primeiro trimestre deste ano, a Via Varejo apresentou prejuízo líquido de R$ 49 milhões graças a quedas em vendas e em margem bruta. Uma operação mais eficiente entre compras virtuais e físicas tende a melhorar a situação, de acordo com analistas.

Essa integração, a começar pelo aspecto societário, abre espaço para a implementação de novidades caras ao varejo como um todo, incluindo retirada e trocas em loja de produtos comprados online, gestão de estoque inteligente e integrada (evitando excesso de produtos em certas lojas e falta em outras) e omnicanalidade.

“Estamos bastante confiantes na evolução dos resultados de forma consistente e sequencial nos próximos trimestres”, disse Estermann em sua apresentação. Ele admite, porém, que há “desafios e a necessidade de uma execução impecável”.

Lado bom do balanço

Apesar dos resultados fracos, a Via Varejo apresentou melhorias em alguns indicadores. Um deles foi a o crescimento de 63% no valor transacionado dentro da área de marketplace (venda de produtos de terceiros). Esse número, de acordo com Estermann, é fruto de uma melhora significativa na plataforma em si e na relação entre a companhia e os varejistas selecionados para vender dentro de seu ambiente, os sellers.

O executivo também garante que todas as ações definidas no início do ano para melhorar o aspecto comercial da empresa estão sendo implementadas de acordo com o cronograma planejado. “Também estamos operando nas lojas físicas com estabilidade operacional nos mesmos níveis do final de 2017 e início de 2018”, diz. Vale lembrar que a empresa sofreu um revés pesado no ano passado com a dificuldade na implantação de um novo sistema de vendas nas lojas. 

A ação da Via Varejo (VVAR3) fechou a quarta-feira sem oscilação, apesar de queda próxima a 1% do Ibovespa. 

Seja sócio das maiores empresas do país: invista. Abra uma conta gratuita na XP. 

 

Contato