Em vale

Produção da Vale no 2º trimestre frustra expectativas e ADR cai 1,35%

Companhia produziu 64,1 milhões de toneladas de minério de ferro, o que corresponde a uma queda de 12% sobre o primeiro trimestre deste ano

Vale - Mina Gongo Soco
(Agência Vale)

A produção de minério de ferro da Vale (VALE3) encerrou frustrou expectativas ao terminar o segundo trimestre deste ano em 64,1 milhões de toneladas (Mt). A estimativa mediana nos analistas consultados pela Bloomberg era de 74,6 milhões de toneladas. 

O número representa também uma redução de 12,1% ante o primeiro trimestre deste ano e de 33,8% sobre o mesmo período de 2018.

Como consequência, os ADRs (na prática, as ações da empresa brasileira negociada nas bolsas dos Estados Unidos) da Vale caem 1,35% a US$ 13,85 no pré-market da bolsa de valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês). 

Segundo a empresa, a redução resulta, principalmente, dos impactos decorrentes da ruptura da barragem de Brumadinho e de condições climáticas incomuns no Sistema Norte em abril e no início de maio.

A produção de pelotas totalizou 9,1 Mt, ficando 25,5% e 29,3% menor na comparação trimestral e anual, respectivamente, “devido principalmente à parada total das plantas de pelotização do Sistema Sul durante o trimestre, às fortes chuvas no Sistema Norte e Sudeste, bem como à manutenção nas proximidades das plantas de Tubarão”.

“A Vale realizou um progresso substancial em relação às 93 Mtpa de produção interrompidas no 1T19, com a retomada das operações de Brucutu em 22 de junho, recuperando 30 Mtpa de capacidade de produção. Em relação aos 60 Mtpa ainda interrompidos, a Vale espera a retomada gradual dos 30 Mtpa de produção a seco a partir do final deste ano, bem como o retorno no período de dois a três anos dos 30 Mtpa restantes, incluindo neste caso o processamento a úmido”, diz.

Segundo a empresa, como resultado da retomada da mina de Brucutu, a Vale reafirma seu guidance de vendas de minério de ferro e pelotas para 2019 de 307 a 332 Mt, como previamente anunciado, e informa que a expectativa atual é de que as vendas fiquem próximas ao centro da faixa.

Em relação ao guidance de pelotas, como resultado da parada de 10 Mt e devido à manutenção de 5 Mt de impactos, a a Vale revisou a meta de produção de de pelotas de 60 Mt, conforme anunciado no Vale Day, para 45 Mt em 2019.

Ainda segundo a empresa, devido aos baixos volumes de venda no trimestre, refletindo a parada em Onça Puma, a Vale revisou o seu guidance de produção de níquel para 210.000-220.000 t em 2019.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

 

Contato