Em v-agro

V-Agro efetua venda de ativos visando priorizar produção de grãos e fibras

Desinvestimentos no 2º semestre de 2011 chegou ao montante de R$ 257 mi; valorização de terras é outro foco da empresa

SÃO PAULO – Em teleconferência para a apresentação dos resultados de 2011, a Vanguarda Agro (VAGR3) deixou claro seu objetivo em buscar, cada vez mais, por um controle financeiro disciplinado, mitigando riscos e gastos. Neste sentido, ela efetuou alguns desinvestimentos em ativos não estratégicos ao longo do segundo semestre, visando dar prioridade ao setor de produção de grãos e fibras, além da valorização de terras adquiridas.

“A Vanguarda Agro realizou e vem efetuando vendas de ativos industriais no valor total de R$ 257 milhões, para obter uma melhor estrutura de capital”, afirmou Bento Moreira Franco, CEO (Chief Executive Officer) e diretor de Relações com Investidores da empresa, durante a teleconferência.

Deste montante fazem parte as vendas da unidade de esmagamento de caroço de algodão em Itumbiara (R$ 40 milhões), da participação de 25% na companhia Tropical Bioenergia (R$ 61,5 milhões), da usina de biodiesel de Rosário do Sul e da esmagadora de soja de São Luiz Gonzaga – ambas no Rio Grande do Sul - pelo valor de R$ 55,5 milhões, além usinas de biodiesel de Porto Nacional, em Tocantins e Iraquara, na Bahia, por R$ 100 milhões.

 

Contato