Em unipar

OPA? Que OPA? Small cap vive rali de 30% às vésperas do pregão que poderia marcar sua saída da bolsa

Impasse sobre o preço justo para OPA transforma em mistério se controlador vai conseguir ou não fechar o capital da Unipar; minoritários dizem que preço justo seria de pelo menos R$ 20,00, mas a oferta (em valor ajustado) está em R$ 2,50

UNIPAR
(Wikipedia)

SÃO PAULO - A um dia do leilão para possível fechamento de capital, o futuro da Unipar Carbocloro (UNIP6), que ganhou destaque no mercado nos últimos meses por conta de uma briga societária, segue incerto. Isso porque acionistas minoritários insatisfeitos com o valor proposto na OPA (Oferta Pública de Aquisição) têm feito coro para barrar a oferta. 

Em meio às incertezas, as ações da companhia - que tem entre suas principais atividades a fabricação de cloro, derivados de cloro e soda cáustica - foram se distanciando cada dia mais do valor oferecido pelo acionista controlador, a holding Vila Velha, da família Geyer, para fechamento de capital. Os papéis UNIP6, que possuem maior liquidez na bolsa, dispararam 30% nos últimos 3 pregões, fechando esta quinta-feira (27) cotados a R$ 13,07, contra a proposta da OPA de R$ 7,50 por ação (sem considerar o ajuste dos dividendos) - isto é, 74% acima do que o controlador está disposto a pagar amanhã aos acionistas. 

Por que esse descasamento?
Para saída do mercado, o controlador da empresa ofereceu o valor de R$ 7,50, mas que, descontados por dividendos (veja aqui), vai para R$ 2,95 por ação ordinária (ON), R$ 2,40 por preferencial classe A (PNA) e R$ 2,50 por preferencial classe B (PNB) - números que não condizem com o valor justo da empresa, argumentam os acionistas minoritários, que têm entre os mais atuantes o megainvestidor Luiz Barsi.

Na mais recente carta, Barsi e a Lis Capital argumentam por que a oferta deveria ser de pelo menos R$ 20,00 por ação (ou R$ 25,00 sem descontar os dividendos). 

Em um exercício simples de valuation, eles demonstram que somente mudando a taxa de desconto (custo da dívida e custo do capital próprio) adotada no laudo do Santander, em meados de 2016, o valor justo chega aos R$ 25,00 por ação (ou R$ 20,00 ajustado). Ao InfoMoney, a Lis Capital comenta que essa diferença deve-se pela queda significativa no custo de capital, em meio à queda vista na Selic durante nesse período. Veja abaixo os cálculos: 

Esse valor, contudo, é apenas um piso do que deveria valer a oferta, comentam. Isso porque, se considerar apenas a parte da Carbocloro, a empresa deveria valer pelo menos R$ 1 bilhão - superior aos R$ 627 milhões oferecidos na OPA. Na carta, eles argumentam que a Unipar aceitou pagar R$ 550 milhões em 2013 pelos 50% que não possuía na Carbocloro. Ou seja, "teoricamente, a Unipar deveria valer, no mínimo, R$ 1,1 bilhão", diz o texto.

Mas, nessa conta, deve-se ainda considerar a aquisição, em meados de 2016, da Solvay Indupa, que vai triplicar a receita da empresa, explicam. A aquisição representa sozinha um acréscimo anual de R$ 2 bilhões no faturamento da companhia, contra o que R$ 1 bilhão anual que ela fazia sozinha. Veja abaixo:

Para demonstrar a distorção que vê em relação à OPA e o valor real da empresa, a Lis Capital brinca com uma frase do megainvestidor Warren Buffet: "não preciso saber quanto uma pessoa pesa exatamente para saber que ele é gorda". "Estamos falando de uma empresa estável, um monopólio regional, que atravessou uma das piores crises do país muito bem", comenta. 

Diante dessas projeções, eles dizem para os investidores não venderem suas ações abaixo dos R$ 20,00 no leilão da OPA que ocorrerá na próxima sexta-feira (27). A oferta, dizem, "não condiz com o valor justo conservador e tampouco com sua capacidade financeira de pagar pelas ações dos minoritários", comentam. 

Os acionistas que desejam participar da oferta têm até amanhã para enviarem suas ordens para a bolsa, enquanto a formalização dessa decisão deve ser feita até hoje. Vale menção aqui sobre um ponto importante: amanhã as ações da companhia serão negociadas ex-dividendos (veja aqui) e, por conta disso, todas as ordens colocadas até hoje nascerão mortas. Isto é, os acionistas vão precisar recolocar suas ordens na próxima sexta-feira e isso deve ser feito até às 13h (horário de Brasília).  

"Eu, particularmente, vou indicar a carteira 7105-6 [carteira que receberá as ações habilitadas a participar da OPA], colocando nessa oferta o preço de R$ 30,00, que é quanto acho que vale na atualidade as ações da Unipar Carbocloro, agora com os acréscimos da Solvay", diz Barsi. 

Para a OPA ser bem-sucedida, ao menos dois terços dos acionistas minoritários precisam aderir. Há a cerca de 62,7 milhões de papéis em circulação no mercado. Somente Barsi detém 15,7% do capital total da empresa, ou 3,2 milhões de ações ONs e 9,9 milhões de PNs. 

 

Contato