Em ultimas-noticias

Primeiros passos na educação financeira de seu filho? Veja por onde começar

Pais querem proporcionar o melhor aos filhos; é preciso cuidado para não exagerar, ainda mais quando o assunto é dinheiro

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Você, como pai quer o melhor para o seu filho, certo? Trabalha determinado a garantir um futuro tranqüilo para ele, com perspectivas de cursar uma boa universidade e prepará-lo para o mundo.

Mas...sem querer desanimá-lo, a tarefa não é fácil. Por melhor que seja a sua intenção, há sempre alguns passos que devem ser seguidos e, outros, evitados. A educadora Cássia D'Aquino, em seu livro "Educação Financeira - vinte dicas para ajudar você a educar seu filho", destaca alguns itens que devem ser considerados:

Respeite o momento
Por mais que você goste de presentear as pessoas, cuidado! Resista a essa tentação, principalmente quando se tratar do seu filho. O ideal é estipular as ocasiões que você considera mais propícias para isso.

Evite qualquer ligação entre seu filho ir bem nos estudos e ganhar dinheiro. Seu desempenho na escola não deve ser premiado dessa forma. Que tal manifestar seu carinho, orgulho e admiração com um forte abraço?

Neste quesito, o apoio dos avós é fundamental. Nada de "estragar" os netos. Explique a eles a importância de impor limites. O resultado será positivo.

A vez da mesada
Por meio da mesada, seu filho acabará assumindo maior responsabilidade em relação à quantia, e se sentirá confiante e maduro justamente por isso.

Nada de conflitos nesse assunto: suspender a mesada por conta de desobediência ou baixo rendimento na escola? Nem pensar: o propósito da mesada é bem outro.

Estabeleça um dia para o pagamento da mesada e respeite essa data. Nada de atrelar o recebimento com a realização de boas ações ou tarefas domésticas.

Poupar é preciso
É importantíssimo aprender a poupar. E, para isso, quanto antes melhor! Proponha, no início, uma meta de poupança e incentive seu filho a poupar. Você verá o resultado!

Deixe-o, com o passar do tempo, a tomar suas próprias decisões, sem recriminá-lo nos deslizes. Lembre-se: nos erros também se aprende. Caso você não concorde com alguns gastos, exponha seu ponto de vista e estabeleça algumas restrições.

Lembre-se: ser um bom pai não significa dar tudo o que a criança pede. Pelo contrário, preparando-o para o futuro, por meio de uma educação financeira bem construída, você estará formando um adulto responsável e seguro. Que tal começar?

 

Contato