Em ultimas-noticias

Corte dos gastos extras: "cartada" decisiva para resgatar seu orçamento

Mesmo com receitas e despesas controladas na ponta do lápis, o dinheiro continua apertado... é hora de vigiar a carteira!

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Diante do orçamento sempre apertado, você faz mensalmente sua planilha: nela estão suas receitas e despesas listadas de forma organizada. Porém, nem assim as contas tem lhe dado uma trégua: o sinal de alerta continua "piscando".

Pois bem, por mais disciplinado que você seja, é provável que um fator esteja passando despercebido pelo seu controle: as despesas extras!

Tudo entra na lista!
Todos nós temos um hábito difícil de combater, quando o assunto é Finanças Pessoais: costumamos arredondar para cima o nosso salário (receita) e amenizar os nossos gastos (despesas). Como?

Dessa forma, por exemplo, um salário bruto de R$ 2.500 é considerado receita líquida, enquanto uma blusa de R$ 99,90 custa apenas R$ 90!!! Nessa linha de raciocínio, entram as despesas extras: aqueles gastos, algumas vezes de valor elevado, que você efetua e nem se dá conta.

Comece hoje mesmo
Para você observar com clareza como isso é real, faça uma experiência. Você não precisará de muitos dias para perceber os resultados. Deixe um caderno sempre à mão, de preferência em um local por onde você sempre passe e possa vê-lo. Use-o para relacionar simplesmente tudo que gastar.

Exagero? De forma alguma. Principalmente aos finais de semana, as despesas fogem do controle: o dinheiro sacado praticamente evapora num piscar de olhos da carteira, isso sem falar no gasto com o combustível; um passeio aqui, outro ali...

Mencione tudo, e perceberá que algumas despesas poderiam até ser consideradas "fixas", como o valor religiosamente gasto toda semana no cabeleireiro, na ida ao estádio de futebol ou no aluguel dos DVDs para o "cineminha" em família.

É claro que este processo exigirá de você paciência, mas tenha certeza de que poderá ver em breve resultados muito positivos. Provavelmente perceberá que tem consumido muito mais do que recebe, e identificará despesas "supérfluas".

Direito à "ousadia"
Você considera que trabalha demais e tem direito a uma ou outra ousadia de vez em quando, já que não pode encarar luxos maiores? Certo!

Tudo bem, mas nem sempre controlar o orçamento significa abrir mão do que você gosta: opte primeiro por encontrar alternativas de reduzir custos, fazendo uma nova cotação de preços, procurando outros prestadores de serviço ou opções alternativas de lazer, por exemplo.

O importante, neste caso, é ter consciência de que se trata de planejar o seu orçamento. Ninguém mais do que você terá interesse de regularizar a situação. Uma regalia que lhe faz feliz hoje pode, no futuro, acarretar um "rombo" em sua conta, dando o ponta-pé inicial no processo de verdadeiro estresse durante um "embate" contra as dívidas.

Sendo assim, cuide-se! Ter suas contas em dia faz bem para a sua saúde...física, moral e financeira. Comece hoje mesmo a planejar seus gastos!

 

Contato