Em trisul

Após prévia operacional, ação da Trisul tem sua máxima desde setembro de 2011

Números do 4º trimestre mostram uma boa melhora em relação ao mesmo período de 2011; papéis da companhia já subiram 45% nos últimos 30 dias

prédio em construção - imóveis
(Thinkstock)

SÃO PAULO - Embaladas pela prévia operacional divulgada na noite de sexta-feira (18), as ações da Trisul (TRIS3) estendem o rali visto desde o final de dezembro e aparecem entre os destaques de alta da BM&FBovespa nesta segunda-feira (21). Às 11h38 (horário de Brasília), os papéis da companhia avançavam 9,52%, cotados a R$ 3,68 - dois centavos abaixo da sua máxima do dia -, atingindo seu maior patamar desde 1 de setembro de 2011, quando fecharam a R$ 3,89.

Na última sexta-feira, a companhia divulgou sua prévia operacional, reportando bom resultado. No quarto trimestre de 2012, com 2 lançamentos, a empresa obteve R$ 186 milhões de VGV (Valor Geral de Vendas), ante R$ 49 milhões registrados no mesmo período de 2011. No acumulado anual, a companhia chegou a VGV de R$ 290 milhões com 4 empreendimentos, ante R$ 324 milhões em 2011.

Apesar da resposta positiva das ações no mercado, a equipe de análise da XP Investimentos mantêm-se cética em relação ao futuro da companhia. "Os resultados mostram uma melhora em relação ao mesmo trimestre de 2011 e sobre os primeiros nove meses de 2012. No entanto, não acreditamos que isso será acompanhado por uma melhora drástica nas margens bastante suficiente para mudar a nossa recomendação de não exposição às ações da empresa", afirmam os analistas em relatório.

Sendo uma das imobiliárias com menor liquidez da BM&FBovespa, as ações da Trisul já acumulam ganhos de mais de 45% nos últimos 30 dias, tendo um volume financeiro médio de R$ 470 mil por dia e uma média diária de 59 negócios.

 

Contato