Em telebras

O rali que você não deve se lamentar por ter ficado de fora: entenda a disparada de até 400% da Telebras

A "má notícia" que foi comemorada pelo mercado: o aumento de capital de R$ 854,4 milhões que fez disparar a ação dessa estatal

SÃO PAULO - Uma notícia que normalmente provocaria aversão ao risco nos investidores teve um efeito inesperado em uma ação fora do radar do mercado. Os papéis da Telebras (TELB4) dispararam até 400% na Bovespa em apenas 4 pregões (considerando o ponto máximo atingido hoje), com volume financeiro atípico. O rali, contudo, foi interrompido nesta terça-feira, com a ação encerrando em queda de 24,54%, a R$ 40,00. Na máxima do dia, os ativos atingiram alta de até 22,6%, a R$ 65,00. 

O motivo da euforia veio junto com a notícia de que o governo autorizou um aumento de R$ 854,4 milhões no capital social da empresa, conforme decreto publicado no Diário Oficial da União na manhã da última quinta-feira. Considerando os três pregões que se seguiram, a alta acumulada ficou em 307%. 

A questão é que, por natureza, o comunicado seria uma "má notícia" para os acionistas, dado que um aumento de capital normalmente provoca diluição dos minoritários. Mas aí que mora o "ponto-chave" do movimento: para os fundos não serem diluídos, eles precisariam subscrever essas novas ações, mas como ela tem baixa liquidez é possível "forçar" o preço da ação e foi isso que eles provavelmente fizeram. 

Se a empresa precisaria emitir 64,6 milhões de ações ao preço de R$ 13,00, para totalizar os R$ 854,4 milhões do aumento de capital, com a cotação a R$ 40,00 (preço atual), será preciso 21,36 milhões de ações. Ou seja, provocando uma diluição menor, caso o acionista não acompanhe a subscrição. Por isso, o que era para ser uma má notícia acabou se transformando em uma boa notícia para alguns investidores.

Movimento semelhante ocorreu no último aumento de capital realizado pela companhia, em 2012, quando a ação subiu 95% entre os dias 10 e 11 de outubro, chegando a R$ 91,30 (valor que já considera o grupamento). Vale lembrar que, apesar da euforia gerada, em abril de 2013, a ação já valia menos do que R$ 40,00 na Bovespa. 

Confira a explicação completa no vídeo abaixo:

 

Contato