Em telebras

Telebras nega fusão, mas ação "ignora": em 2 dias, disparada chega a 450%

Companhia disse que "desconhece" a fonte das informações veiculadas pela imprensa, que aponta que o governo estaria estudando a fusão da Telebras, Dataprev e Serpro

telecomunicações-telecom-informação

SÃO PAULO - Depois de ver as ações chegaram a atingir ganhos de até 300% na véspera, a BM&FBovespa pediu esclarecimentos à Telebras (TELB4) sobre a atípica movimentação de seus papéis, que tiveram também uma movimentação financeiro muito superior à média diária dos últimos pregões. 

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, a companhia disse que "desconhece a fonte das informações veiculadas pela imprensa", que aponta que o governo estaria estudando a criação de uma nova empresa estatal de telecomunicações, com a fusão da Telebras, Dataprev e Serpro, conforme informou na segunda-feira a Folha de S. Paulo. Segundo a reportagem, o governo quer centralizar os passivos e serviços prestados pelas três empresas em uma só. 

A companhia comentou, no entanto, que não vê impedimento de que a Telebras venha celebrar parcerias com qualquer empresa estatal, desde que atenda aos interesses institucionais da empresa. 

Diante da notícia, as ações da companhia dispararam 223% na véspera, uma euforia que seguiu para este pregão. Nem mesmo a informação de que a empresa negou a fusão fez efeito sobre as ações.

Novamente operando entre leilões, a ação da companhia subia 71,27%, segundo cotação das 11h10 (horário de Brasília), a R$ 3,10. Nesses dois pregões, a valorização já atingia 453%. 

 

Contato