Sabesp não é “sexy”, mas pode te enriquecer: por que ação tem potencial para ao menos dobrar?

Ação superou os R$ 80 e, para muitos, o momento de entrar já passou – mas como temos alergia a opinião rasa, decidimos investigar

Lucas Collazo

Publicidade

Sabesp definitivamente não é a empresa mais comentada pelo mercado ao longo dos anos. O setor dela é “chato”, sem grandes novidades, com apenas três companhias listadas, sendo todas estatais.

Desde o marco do saneamento, o assunto começou a esquentar e ganhou espaço nas discussões de investimento. Porém, a “batata assou” mesmo com a privatização, justamente neste momento da história.

Cada vez mais as casas de análise dos grandes bancos estão divulgando relatórios da empresa, quase todos com perspectivas otimistas. Alguns investidores e fundos de investimento passaram a se movimentar, ainda que de forma tímida, e adicionaram posições no papel em suas respectivas carteiras.

Continua depois da publicidade

A ação atingiu um patamar superior a R$ 80 na bolsa. Poucos falam com profundidade sobre o caso e, aparentemente, para muitos, o momento da Sabesp já passou. Bom, como no Stock Pickers nós temos alergia a opinião rasa, decidimos investigar:

Fabiano Custódio, CIO e gestor na Miles Capital, uma casa focada em ações, cobre o setor e a companhia desde 2004. São duas décadas de cobertura, ele é uma das grandes referências do país no tema.

A Sabesp faz parte do portfólio da casa há alguns anos e contribuiu positivamente para os resultados da gestora, que completou mais de 6 anos de história. Nas contas de Fabiano, nem tudo “já está no preço” e o papel ainda demonstra oportunidade de valorização considerável.

A privatização deve trazer melhorias e maior eficiência para a empresa; e a regulação, no que foi apresentado até aqui, mostra um caminho brilhante pelo menos até 2030. Para ele, é o começo de uma história que deve levar a Sabesp ao posto de maior “utility” da América Latina.

No cenário da Miles, a Sabesp deve passar dos R$ 200 por ação.

Obviamente que existem riscos e não necessariamente isso deve se materializar, mas a conclusão é que existe muito espaço para valorização e pouco de perda. É a principal posição da casa há algum tempo e permanece dessa forma, mesmo após as altas observadas.

Passamos quase uma hora inteira detalhando tudo da companhia. É impressionante o quanto o Fabiano domina sobre o assunto. O resultado dessa conversa está no último episódio do Stock Pickers. Não perca.

Lucas Collazo

Host e conselheiro no fundo do Stock Pickers | Especialista em alocação e fundos de investimento no InfoMoney