Stock Pickers

Por que a Renner comprou um “brechó online”? CEO da empresa responde

Fabio Faccio, CEO da varejista, destacou que a compra está dentro do plano de tornar a Renner de um ecossistema de moda e lifestyle

10 anos após sua última compra (quando adquiriu a Camicado), a Renner anunciou na última semana a aquisição de 100% da Repassa, uma plataforma online de roupas e acessórios usados. O valor não foi revelado mas, pelo tamanho da companhia, certamente foi um valor bem pequeno perto dos R$ 4 bilhões que a Renner levantou em abril via oferta de ações.

Em entrevista ao youtube do Stock Pickers nesta segunda-feira (19), o CEO da varejista, Fabio Adegas Faccio, disse que a compra de uma empresa com modelo de negócio tão diferente do que a Renner se acostumou a entregar acontece num momento em que o mundo caminha para esse mercado de “revenda de vestuário”. Até 2025, estima-se que o setor irá movimentar até US$ 25 bilhões no mundo, diz Faccio.

O brechó online irá acrescentar ao ecossistema da varejista um serviço que ainda não existia dentro da empresa e que já era demandado por clientes, segundo Faccio. “Quando fizemos o levantamento sobre possíveis aquisições, vimos que é possível realizar alguns movimentos menores, mas podemos fazer movimentos maiores também. Temos dois grandes pacotes de aquisições: ampliação de sortimento de produtos e serviços e de habilitadores (plataformas logísticas, dados, etc)”, explica.

A analista Danielle Eiger, que cobre o setor de varejo na XP Research, explicou qual a diferença entre a Repassa e a Enjoei (ENJU3), empresa que chegou na B3 em novembro do ano passado:

“A principal diferença é o foco. O modelo do Repassa é de ´market place gerenciável´, a empresa cuida de todo o processo de vendas de cada um dos produtos. No caso da Enjoei, o foco deles é o modelo de P2P, os usuários vendem entre si e utilizam a plataforma apenas como intermediário que não necessariamente tem ´contato´ com a peça. Essa é a principal diferença e isso tem um impacto na escala. Hoje a Enjoei é bem mais relevante: o número de visitas do canal é 22x maior do que o da Repassa”, explicou Eiger.

Sobre o “varejo tradicional”, Faccio revela que já começa a perceber os efeitos da aceleração da vacinação nas vendas da empresa, que chegaram até aos patamares pré-pandemia em algumas cidades. Além disso, ele começa a perceber uma mudança no comportamento dos clientes da Renner:

“Antes da pandemia, os clientes que usavam tanto canais físicos quanto digitais compravam até três vezes mais do que os clientes que usavam apenas um dos canais. Agora no pós-pandemia, temos um número muito maior de clientes que consomem nos dois canais, e estes continuam consumindo três vezes mais do que os que utilizam apenas um dos canais”, explica o CEO da empresa.

Faccio também falou sobre a preocupação do ESG da Renner, como manter funcionários motivados durante a pandemia e o perfil das próximas aquisições da Renner. Confira a entrevista completa no vídeo acima ou direto em nosso canal no Youtube (link aqui).

PUBLICIDADE