“Lula não voltou como o Mandela”, as visões de Marcio Appel, da Adam Capital, sobre os mercados brasileiro e internacional

Conhecido como "fenômeno Appel”, gestor é o convidado do episódio 184 do Stock Pickers

Equipe InfoMoney

Publicidade

Nos últimos dias o noticiário tem sido desfavorável para o mercado brasileiro, o que faz o debate em torno do país ficar bem dividido. Em uma ponta, parte do mercado acredita que mesmo o país não sendo “o melhor player”, ainda desperta atenção do investidor gringo. Do outro lado há aqueles que estão completamente pessimistas.

Marcio Appel, sócio-fundador e CIO da Adam Capital, está na ponta mais cética do debate. “Nós (da Adam Capital) tínhamos uma leitura de que a bola estava na marca do pênalti, era só chegar lá, dar um toquinho que a bola entrava”, diz o gestor.

Porém, segundo ele, “ao longo de janeiro começa a ficar mais claro que realmente o Lula não foi o Mandela. Ele não voltou da cadeia e falou ‘vou surfar o Brasil, a melhor geografia do mundo’ (…) ele entrou para aumentar o nível de ruído”. Appel completa dizendo que o atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), está “claramente mais radicalizado”.

Continua depois da publicidade

Marcio Appel foi o convidado do episódio 184 do Stock Pickers para apresentar sua visão sobre o mercado brasileiro e global.

Marcio Appel

Quando Márcio Appel criou a Adam Capital, em 2016, seu nome virou sinônimo de uma revolução no mercado de investimentos do Brasil. Nenhum outro hedge fund criado naquele ano no planeta atraiu tanto dinheiro quanto o fundo multimercado brasileiro Adam Macro. Logo, Appel virou uma grande referência.

O “fenômeno Adam”, como ficou conhecido nos círculos financeiros, surgiu quando o Brasil passava por um cenário favorável para tal, mas ele não teria sido possível sem as credenciais anteriores de Appel.

Depois de liderar a divisão de gestão de ativos da unidade brasileira do Banco Santander, onde trabalhou de 2001 a 2008, Appel assumiu função similar no Banco Safra.

Foi lá que ele construiu uma boa reputação entre alguns dos investidores mais ricos do país, graças ao desempenho de seu fundo Galileo. Em sua passagem de quase cinco anos no Safra, que terminou em 2015, o Galileo subiu quase 200%.

No ano seguinte, ele criou a Adam Capital, ao lado do ex-colega André Salgado. A gestora chegou a ser uma das maiores do país em 2018/2019.

Adam Capital

Após dois anos de notável desempenho, a casa recentemente enfrentou dificuldades com performance. Appel abriu algumas das medidas da Adam para voltar aos bons retornos.

Uma delas, é, em suas palavras, “voltar para o arroz com feijão”, que significa ter uma visão mais macro, sem se prender muito a uma ação específica, e sim operar índices.

Estados Unidos

Voltando ao cenário atual, Appel destaca que a atividade econômica americana surpreendeu de forma positiva recentemente, mas Appel parece não estar otimista com a geografia.

“A performance da bolsa americana foi especialmente ruim ano passado. Um pedaço pelo medo de recessão, esse é um cenário que a gente nunca comprou, sempre achamos que seria fácil o soft landing [desaceleração branda], porque não tinha uma alavancagem financeira muito forte”, diz.

Porém, segundo o executivo, “quando sai o último dado de criação de vagas, significativamente acima do que todos esperavam, começa a haver dúvidas se o atual nível de taxa de juros está sendo capaz de gerar a convergência do nível de criação de vagas”. Sendo assim, a casa assumiu posição tomada no juro americano.

Brasil 

Insatisfeito com as recentes medidas do atual governo, Appel acredita que o cenário só não será de todo ruim pois “temos um congresso comandado por forças conservadoras” capazes de frear determinadas ações.

Um dos seus temores é em relação a Petrobras (PETR3;PETR4) “Acho que eles vão caminhar para mudar realmente a política de paridade de preço e dividendos”.

Desemprego no Brasil 

Outro ponto sensível na visão de Marcio Appel é a pauta do governo na regulamentação de trabalhadores por aplicativo. “Tem um motivo de ser assim a flexibilidade do trabalho, um pedaço da geração de emprego vem pela flexibilização que a gente teve no Brasil, não só das leis trabalhistas em si mas pelos arranjos jurídicos para o trabalho”, afirma.

O gestor completa dizendo que, “a micro empresa individual, por exemplo, é uma maneira de ser empregado e fugir da ‘loucura das leis trabalhistas’. Quando desregulamenta o mercado de trabalho, o desemprego cai. Quando regulamenta, o desemprego sobe”.

Stock Pickers

O Stock Pickers é o maior podcast sobre ações do Brasil. O programa reúne gestores, analistas, traders e investidores em um debate sobre mercado e tudo que impacta em seus movimentos.

Já recebeu nomes como Luis Stuhlberger, sócio-fundador da renomada gestora Verde Asset e um dos maiores gestores do país; Andre Jakurski, fundador da JGP, uma das maiores e mais vencedoras casas de gestão de recursos do Brasil; Leda Braga, doutora em engenharia mecânica, fundadora, acionista majoritária e CEO da Systematica Investments e mulher brasileira com a carreira mais consagrada no mercado financeiro; e outras inúmeras personalidades consagradas do ramo.