Em santos-brasil

Small cap despenca 11% após resultados do terceiro trimestre

Companhia viu sua receita e lucro caírem entre julho e setembro e corretora destaca a concorrência como principal preocupação para o futuro

Porto de Santos
(Wikimedia Commons)

SÃO PAULO - Na noite da última segunda-feira (28), a Santos Brasil (STBP11) divulgou seus resultados referentes ao terceiro trimestre deste ano. A companhia teve queda de 4,1% em seu lucro, que ficou em R$ 45,2 milhões. Segundo comunicado, a queda se deve a itens não recorrentes da ordem de R$ 7,3 milhões, sendo R$ 3,5 milhões com efeito não caixa.

O resultado não foi bem recebido pelo mercado, e a companhia vê suas ações recuarem 11,31%, para R$ 23,28, às 15h25 (horário de Brasília), enquanto o volume movimentado pelos papéis já passa de três vezes a média dos últimos 21 pregões, atingindo R$ 30,3 milhões.

Segundo a XP Investimentos, o balanço veio abaixo do esperado, com a movimentação de contêineres com um crescimento de apenas 3,1% denota que a companhia ainda não foi capaz de alavancar as operações do Tecon Imbituba e Vila do Conde, mantendo a concentração da movimentação no Tecon Santos.

Além disso, eles destacam que a manutenção dos volumes de armazenagem alfandegada na comparação anual (com queda de 5% em relação ao trimestre anterior) mostra um mix pior de serviços e operações de cais da empresa. Enquanto isso, a receita média por veículo movimentado apresentou forte queda de 53%  devido ao menor tempo de armazenagem e possível redução da importação de veículos.

Segundo a corretora, a preocupação com a Santos Brasil agora fica em relação a 2014 e o desafio que a companhia terá no próximo ano, quando os concorrentes Embraport e BTP estarão em outro patamar operacional. Eles ainda ressaltam que o descontrole nos custos dificilmente será compensado pela melhor receita e volume, dado a nova competição no Porto.

Teleconferência
O principal ponto discutido durante a teleconferência de resultados foi a concorrência enfrentada pela companhia no Porto de Santos. Segundo a Santos Brasil, a competição impactou negativamente os resultados e numa expectativa mais rápida do que a esperada, a entrada da Embraport e BTP fez com que o resultado operacional apresentasse uma queda muito grande.

Para enfrentar esse aumento de concorrência, a empresa disse que adotou a estratégia de dar atratividade a contratos de longo prazo para armadores. Porém, a consequência é uma tarifa menor, apesar de reter e fidelizar o cliente. A intenção é tentar trazer mais volume, porém com uma tarifa menor.

 

Contato