Em sabesp

Doria: "melhor opção", privatização da Sabesp pode render R$ 20 bilhões a São Paulo

O governo aguarda a tramitação no Congresso do marco regulatório do setor para encaminhar os planos para a companhia

João Doria
(Gilberto Marques/Governo de São Paulo)

(Bloomberg) -- Privatizar a Sabesp (SBSP3) ainda é a “melhor opção”, segundo o governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB). O governo aguarda a tramitação no Congresso do marco regulatório do setor para encaminhar os planos para a companhia. As ações da Sabesp dispararam para nível recorde após os comentários do governador.

A equipe de Doria espera que o projeto de lei comece a avançar no Congresso a partir de agosto, juntamente com a reforma tributária. Com a aprovação da reforma da Previdência, os parlamentares agora podem se concentrar em outros temas, disseram Doria e o secretário da Fazenda do estado de São Paulo, Henrique Meirelles, em entrevista à Bloomberg em Londres. A venda do controle da Sabesp poderia levantar quase R$ 20 bilhões (US$ 5,3 bilhões), disse Doria.

A segunda opção seria a capitalização, que seria a rota escolhida caso o projeto não seja aprovado ou caso as alterações no texto ofereçam muita vantagem competitiva às estatais, afirmou Meirelles. Nesse caso, o governo criaria uma holding que abarcaria a participação de 51% que o governo tem na Sabesp. O governo, então, venderia ao mercado parte da holding.

"Com o plano de privatização, venderíamos o controle, mas a capitalização ainda representaria um bom montante", disse Meirelles.

As ações da Sabesp acumulam alta de quase 60% neste ano até o fechamento de quarta-feira, o melhor desempenho do índice MSCI Emerging Markets Utilities, impulsionadas pela perspectiva de que o novo marco legal do setor de saneamento abra caminho para a privatização da Sabesp.

Invista nas melhores empresas da bolsa com taxa zero de corretagem: abra uma conta gratuita na Clear

 

 

Contato