Em rossiresid

Em semana negativa para imobiliárias, ações da Rossi lideram perdas do Ibovespa

Ativo acumulou recuo de 7,97%, cotado a R$ 9,93; Brookfield e PDG Realty ocuparam o segundo e quinto lugar no ranking de queda

SÃO PAULO – As ações da Rossi Residencial (RSID3) lideraram as perdas da carteira teórica do Ibovespa na semana, apontando recuo de 7,97% e fechando cotadas a R$ 9,93. Já o benchmark da bolsa brasileira obteve queda de 1,87% no período entre os dias 6 e 10 de janeiro, chegando aos 63.997 pontos.

O ativo RSID3 figurou entre as cinco maiores desvalorizações do principal índice da BM&FBovespa em dois pregões nesta semana, ficando com a terceira maior queda na segunda-feira (6), ao registrar recuo de 2,31%, e a quarta posição no ranking das perdedoras na quinta-feira (9), com baixa de 3,38%. Entretanto, as ações ordinárias da Rossi apontam forte valorização de 24,13% no ano, enquanto o Ibovespa registra alta de 12,76%.

Setor imobiliário domina perdas do Ibovespa
Após uma alta acumulada de 16,15% do Ibovespa do começo do ano até a última sexta-feira (3), o índice apontou para uma realização com o recuo desta semana, sendo acompanhado pelas companhias do setor imobiliário, que têm como característica a forte volatilidade de suas ações. Desta forma, o setor foi responsável por três das cinco maiores quedas do benchmark no período.

Os papéis do setor imobiliário são mais sensíveis às variações do Ibovespa, respondendo com mais força à movimentação do mercado brasileiro. Assim, em momentos positivos para a bolsa, essas ações tendem a registrar ganhos maiores, enquanto em momentos de aversão ao risco o setor também responde com desvalorizações mais elevadas.

Destaques de queda da semana
Entre as maiores quedas do Ibovespa na semana, destaque também para os papéis de Brookfield (BISA3, R$ 6,19, -7,61%), Duratex (DTEX3, R$ 9,67, -6,30%), Petrobras (PETR3, R$ 25,25, -5,99%), PDG Realty (PDGR3, R$ 7,35, -5,77%) e Dasa (DASA3, R$ 16,50, -5,44%). 



 

Contato