Em raiadrogasil

UBS eleva preço-alvo de uma das "melhores ações da bolsa" e vê papel superando os R$ 100

Perspectivas são positivos para as ações da RD, que subiu 47% apenas em 2017

Drogasil 03 - Dentro da loja - Funcionária mostra mercadoria
(Divulgação Drogasil)

SÃO PAULO - Muitas casas de análise questionam até onde vai a alta da RD (RADL3), uma das ações mais resilientes da bolsa. Mas, para o banco suíço UBS, a ação da companhia, que nos últimos 4 anos saltou 530% (com alta de 47% apenas em 2017), pode ir ainda mais longe. 

Em relatório da semana passada, o UBS elevou as estimativas para a empresa farmacêutica e revisou o preço-alvo em doze meses de R$ 82 para R$ 102 - o que configura um potencial de valorização de 15,24% em relação ao fechamento da última sexta-feira (24). O banco suíço também reiterou a recomendação de compra para os ativos. Caso o preço-alvo seja atingido, os papéis RADL3 serão um dos poucos da bolsa com liquidez a atingir os R$ 100.

Os analistas Gustavo Piras Oliveira, Guilherme Muller e Rodrigo Alcantara revisaram o modelo para incorporar o novo guidance de abertura de novas lojas - de 200 para 240 em 2018 e 2019, além de iniciativas para melhorar a eficiência em vendas, e para reduzir custos gerais e administrativos.

Isso ofusca as perspectivas de menores margens (algo que vinha assombrando os últimos balanços da companhia, ainda mais em virtude da alta base de comparação com o ano passado por conta do alto reajuste dos remédios no exercício anterior).

Agora, a perspectiva da margem Ebitda (relação entre o Ebitda - lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização - e a receita líquida) no longo prazo passou de 10,3% para 11,2%. De acordo com os analistas, a perspectiva mais positiva foi apoiada pela forte mensagem entregue pela gestão da companhia no Investor Day no último 10 de novembro, em que a RD destacou iniciativas para melhorar os serviços aos clientes, além de aumentar sua eficiência e reduzir os seus custos. 

"Acreditamos que o consenso ainda não incorpora integralmente os benefícios da maior margem Ebitda em 2018 decorrente do efeito das iniciativas para redução das despesas operacionais implementadas neste ano. Otimizar a estrutura de pessoal na loja está entre as mais importantes dessas iniciativas.  A administração também está implementando iniciativas para otimizar os custos com eletricidade, despesas de logística e aluguel e despesas com marketing, entre outros", apontam os analistas. Assim, a perspectiva é de uma queda nas despesas de vendas de 20 pontos-base em 2018 - o que deve impulsionar o balanço da companhia. 

 

Contato