Em raiadrogasil

Controladores da Raia Drogasil vendem 10 milhões de ações e empresa fica "congelada" por 1 hora e meia na Bolsa

Os 4 participantes do bloco controlador da Raia Drogasil (as famílias Pires, Pipponzi e Galvão, além da Janos Holdings) colocaram a venda cerca de 30% da quantidade de ações que podem ser ofertadas

Drogasil 01 - Fachada
(Divulgação Drogasil)

SÃO PAULO - As ações da Raia Drogasil (RADL3) ficaram congeladas por cerca de uma hora e meia na Bolsa, após gigantescas ordens de vendas aparecem no "book" de ofertas da companhia às 16h39 (horário de Brasília). A suspeita de um "block trade" foi confirmada: ao InfoMoney, três operadores e analistas que acompanham a empresa disseram que o bloco de controladores da rede de farmácias estava vendendo aproximadamente 10 milhões de papéis na BM&FBovespa nesta quinta-feira (17).

Os 4 participantes do bloco controlador da Raia Drogasil (as famílias Pires, Pipponzi e Galvão, além da Janos Holdings) possuem aproximadamente 40% do capital da empresa - algo próximo de 130 milhões de ações -, sendo que 30 milhões são consideradas "livres para venda", conforme estipulado no acordo de acionistas.

Dessa fatia, o grupo de controle está vendendo cerca de 10 milhões de RADL3, ou 30% do que podem ofertar, disse uma fonte ao InfoMoney. Segundo o book das ações da Raia Drogasil, a corretora que intermediou as maiores ofertas de vendas neste leilão foi a do Itaú, com cerca de 8,9 milhões de papéis RADL3. A oferta inicial era de R$ 62,00, mas o lote saiu a R$ 63,95, ou queda de 1,90% frente ao fechamento de ontem.

Tendo como base o preço ofertado de R$ 63,95 pela quantidade de ações oferecidas (as 10 milhões de ações previstas), os controladores podem ter levantado cerca de R$ 639,5 milhões com a operação.

"Esse mês foi liberado um lote de 5% das ações da empresa para venda. Se você calcular o quanto pertence a cada família, perceberá que uma deles sempre vendeu nos momentos em que cai o 'lock-up' [fim do período de venda que os controladores não podem vender ações]" disse um gestor que pediu para não ser identificado. "Ou seja, em tese essa família pode vender a qualquer momento e os grandes bancos estão rodando pelo mercado tentando fazer um block. O leilão de agora deve ser parte disso", complementa o gestor.

Ações ficam "congeladas" por uma hora e meia
Os papéis da Raia Drogasil foram "congelados" na Bolsa ao preço de R$ 64,83, 0,55% abaixo do fechamento anterior. O leilão, que estava previsto para terminar às 17h44, foi sendo adiado a cada minuto, encerrando apenas com o pregão da Bovespa, às 18h07.

Com os compradores animados, o preço teórico de R$ 62,00 marcado durante quase todo o leilão, foi puxado para cima, com os papéis da Raia Drogasil voltando a ser negociados no mercado a R$ 63,95, ou queda de 1,90% frente ao fechamento anteriorEntre 16h39 e 17h54, o preço teórico de RADL3 chegou a R$ 62, o que indicava um recuo de 4,5% frente ao último negócio antes da paralisação.

Uma das melhores ações da Bolsa nesta década, a Raia Drogasil acumula ganhos de 350% nos últimos três anos - elas subiram 73%, 42% e 84% em 2014, 2015 e 2016, respectivamente. No mesmo período, o Ibovespa subiu cerca de 15%.

 

Contato