Em qualicorp

Falência da Unimed Paulistana afeta ação da Bolsa, mas analistas veem oportunidade de compra

Venda compulsória do portfólio da Unimed Paulistana é negativa para a Qualicorp, uma vez que o processo de transferência dos clientes da Unimed Paulistana para outros planos pode levar a desistências adicionais para a companhia

SÃO PAULO - Ontem, o anúncio da falência da Unimed Paulistana surpreendeu muitos e também gerou efeitos negativos em uma ação listada na Bovespa: as ações da operadora, seguradora e fornecedores de produtos de saúde Qualicorp (QUAL3), que fecharam ontem em queda de 3,61%, a R$ 16,28, atingindo o menor nível desde 12 de agosto de 2013. 

Conforme destaca a Santander Corretora, a venda compulsória do portfólio da Unimed Paulistana é negativa para a Qualicorp, uma vez que o processo de transferência dos clientes da Unimed Paulistana para outros planos pode levar a desistências adicionais para a companhia. Os conveniados da Unimed Paulistana representam cerca de 10% do portfólio da Qualicorp.

A empresa informou que está oferecendo alternativas para 160 mil beneficiários da Unimed Paulistana que adquiriram planos de saúde coletivos por adesão por meio da empresa.

Barata demais para ignorar
Apesar do efeito negativo, analistas acreditam que boa parte do newsflow já está precificado e que as ações da companhia estão em um patamar interessante para compra.

“A ação está extremamente barata, considerando o potencial de crescimento de seus negócios”, afirmam em relatório os analistas Rafael Frade e Gabriel Gusan, do Bradesco BBI. “Elas estão baratas demais para serem ignoradas, apesar da extrema volatilidade que deve continuar no curto prazo”, complementam.

“Mantivemos nossa recomendação ‘outperform’ (performance acima da média) porque vemos um significante potencial de valorização em nosso modelo de preço justo para o final de 2015, que é de R$ 27 por ação, mesmo trabalhando com o pior cenário possível para as notícias do dia”, diz a equipe de análise do Itaú BBA.

 

Contato