Disputa

Temer manda acelerar demissão de petistas por atrapalharem gestão, diz Folha

As expectativas são de que novas exonerações de nomes próximos a Dilma ocorram, a despeito de, segundo a assessoria da petista, a presidência ainda teria 89 postos livres para nomeação

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente em exercício, Michel Temer, mandou acelerar as demissões de servidores ligados ao PT do segundo e terceiro escalões. Conforme conta o jornal Folha de S. Paulo, a equipe do peemedebista solicitou um levantamento do número de postos ainda ocupados por nomes indicados por orientações políticas e pediu que petistas sejam substituídos o quanto antes. Uma reclamação frequente em alguns ministérios é que a presença de personagens ligados à gestão anterior na burocracia traz adversidades para a realização dos trabalhos.

A ideia seria de priorizar perfis técnicos para os cargos, a despeito da pressão política para a ocupação de mais espaços no atual governo. Segundo a publicação, o peemedebista teria se irritado com o recrutamento feito pela presidente afastada Dilma Rousseff para seu gabinete no Alvorada, enquanto responde por processo de impeachment no Senado. O peemedebista teria determinado que a Casa Civil fizesse um estudo para verificar se a titular precisava de todos os 36 auxiliares chamados.

As expectativas são de que novas exonerações de nomes próximos a Dilma ocorram, a despeito de, segundo a assessoria da petista, a presidência ainda teria 89 postos livres para nomeação, além dos 40 cargos disponíveis à vice-presidência da República. Segundo a imprensa nacional, Dilma também teria reclamado ao corte que Temer fez ao seu clipping diário de notícias.

Aprenda a investir na bolsa