Investigação

STF abre ação contra Paulinho da Força por desvios no BNDES

De acordo com a denúncia, foi desviado dinheiro de três financiamentos feitos pelo BNDES, que podem ultrapassar os R$ 2 milhões

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O STF (Supremo Tribunal Federal) abriu nesta terça-feira (8) uma ação penal contra o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força Sindical, por possíveis desvios de dinheiro do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, há indícios de que o parlamentar cometeu lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e crime contra o sistema financeiro.

As suspeitas vieram com uma operação da Polícia Federal em 2007. De acordo com a denúncia, foi desviado dinheiro de três financiamentos feitos pelo BNDES: um de R$ 130 milhões para obras da prefeitura de Praia Grande, no litoral de São Paulo, e dois para a expansão e melhorias na rede de lojas Marisa, de R$ 220 milhões. Nesses três contratos, os desvios ultrapassariam R$ 2 milhões.

Também teriam sido beneficiado o então prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão (PSDB), João Pedro de Moura, assessor de Paulinho, Marcos Mantovani, dono de uma empresa de consultoria, e o advogado Ricardo Tosto, ex-conselheiro do BNDES. Essas pessoas são investigadas pela Justiça Federal em São Paulo por não terem direito ao foro privilegiado do STF. 

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com as investigações, a mulher do deputado, Elza Pereira, teria permitido o uso da conta bancária do ONG Meu Guri, presidida por ela, para ocultar parte dos valores desviados do BNDES.