Situação fiscal dos EUA é pior que de países da Europa, diz líder da Comeback America

David Walker diz que, para equilibrar endividamento que já soma US$ 14,3 tri, EUA precisa reajustar impostos e gastos

SÃO PAULO – A situação fiscal norte-americana é pior que a de algumas nações europeias em risco de default, é o que afirmou David Walker, líder da Comeback America Initiative, organização que preza pela responsabilidade fiscal nos EUA, em entrevista publicada pela CNBC.

De acordo com Walker, o país gasta US$ 4 bilhões a mais do que arrecada por dia, em consequência de altos gastos do governo e má distribuição da carga tributária. “Nós teríamos de ter uma taxa de crescimento real (descontado da inflação) do PIB (Produto Interno Bruto) de dois dígitos por décadas para construir nosso caminho para fora deste buraco”, afirma.

Com uma dívida de US$ 14,294 trilhões, o governo precisará estudar uma combinação de redistribuição de impostos e corte de gastos públicos para evitar que os Estados Unidos cheguem ao mesmo patamar de endividamento que países da Zona do Euro como Grécia, Espanha e Portugal, que mostram dificuldades em reequilibrar suas contas fiscais e correm risco de calote.

PUBLICIDADE

Tributação da renda
Segundo Walker, é fundamental a reavaliação da tributação de renda para aumentar a arrecadação dos Estados Unidos. “Temos que estender a base [de cobrança] – 51% dos norte-americanos não têm nenhuma taxação de renda”, disse.” Isso não é aceitável em uma democracia”, completa.

Ele explica que os americanos com maior poder aquisitivo pagam, atualmente, apenas 18% de tributos sobre rendimentos, mesmo quando a taxa permitida, na margem, é de 35%. Segundo Walker, ajustar este desequilíbio tributário será o grande desafio das próximas eleições presidenciais nos Estados Unidos.