Lava Jato

Sindicalista desviava recursos da Petrobras para PT-BA, diz Veja; Lula não comentará

Segundo reportagem deste final de semana da revista, sindicalista Geovane de Morais teria adotado um esquema de desvios de dinheiro para financiar companhas do PT na Bahia, em 2008 - e teria contado com a anuência de Lula

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – De acordo com reportagem da Veja do último final de semana, um documento redigido pela ex-gerente da Petrobras (PETR3;PETR4), Venina Velosa da Fonseca, afirma que o sindicalista Geovane de Morais teria adotado um esquema de desvios de dinheiro para financiar companhas do PT na Bahia, em 2008.

O esquema, segundo a revista, teria contado com a anuência do ex-presidente Lula.  O Instituto Lula afirmou que o ex-presidente não fará comentários sobre essa reportagem. Morais teria simulado uma contratação de serviços de empresas ligadas a petistas que eram acertados e pagos sem nenhum contrato formal. E duas dessas empresas teriam prestado serviços à campanha de Jaques Wagner (PT), atual ministro da Defesa, ao governo da Bahia. 

Morais teria contado com a proteção do então presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, e do Palácio do Planalto. O sindicalista teria fechado em 2008 um negócio com a empresa Muranno Brasil, empresa que teria pagado propina ao esquema de corrupção, segundo declaração do doleiro Alberto Youssef. Contudo, os pagamentos foram suspensos e, por isso, o dono da empresa, Ricardo Marcelo Villani, teria ameaçado denunciar o esquema de corrupção.

PUBLICIDADE

O caso chegou ao então presidente Lula, que teria dado a ordem para comprar o silêncio do empresário, informa a reportagem. 

(Com Agência Estado)