RADAR INFOMONEY Programa desta quarta fala sobre a fusão entre Localiza e Unidas e a disparada das ações do IRB - será que o jogo virou para a empresa na Bolsa?

Programa desta quarta fala sobre a fusão entre Localiza e Unidas e a disparada das ações do IRB - será que o jogo virou para a empresa na Bolsa?

Reajuste salarial de parlamentares volta à pauta na Câmara

Nesta terça-feira (20), deputados retomam discussão sobre o aumento; presidente da Câmara promete votar o assunto

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), retomou nesta terça-feira (20) em reunião com os líderes partidários da Casa a discussão sobre a proposta de reajuste salarial dos deputados.

Chinaglia pediu para os líderes discutirem com suas bancadas o aumento nos salários, que prevê a correção com base na inflação acumulada dos últimos quatro anos. Ele disse que levará o assunto para votação no plenário da Câmara.

Segundo o líder do PSOL na Câmara, Chico Alencar (RJ), a proposta em discussão prevê o reajuste nos salários dos parlamentares, nas verbas indenizatórias e nas verbas de gabinete de cada um dos 513 deputados.

Reajuste é quase uma novela

PUBLICIDADE

O reajuste nos salários dos deputados está em discussão na Câmara desde o final de 2006, quando os parlamentares propuseram equiparar seus salários de R$ 12.847 ao teto do funcionalismo público federal, que é de R$ 24.500.

A proposta promoveu um desgaste ao Legislativo que, agora, deve aprovar o reajuste nos subsídios dos parlamentares com base na inflação, o que elevaria os salários para R$ 16.457.

Se o reajuste for aprovado, o valor mensal da verba de gabinete também deve subir de R$ 50,8 mil mensais para R$ 65,1 mil por parlamentar. A proposta de reajuste da verba foi apresentada na semana passada pelo segundo-secretário da Câmara, deputado Ciro Nogueira (PP-PI).