Aumento dos combustíveis

Reajuste da gasolina em 10% pode acontecer até meados de outubro, diz jornal

Dilma já teria conversado com Mantega e Tombini sobre o momento mais favorável para o reajuste; eles teriam dado o aval para que o reajuste ocorresse até meados do mês que vem

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O reajuste da gasolina para ainda este ano já está quase acertado, conforme destaca o jornal Correio Braziliense; segundo a publicação, o aumento pode chegar a 10% e deve ser anunciado nas próximas semanas. E o momento mais favorável – com a recuperação do real frente ao dólar neste mês – torna uma oportunidade para que o governo reajuste os preços da gasolina sem que a inflação estoure o teto da meta, de 6,5% ao ano. 

De acordo com um técnico da equipe econômica do governo ouvido pelo jornal, o pedido da Petrobras (PETR3;PETR4) de reajustar a gasolina estaria muito perto de ser atendido, pois a inflação está mais bem comportada e a pressão do dólar alto sobre os consumidores foi reduzida. A presidente da República, Dilma Rousseff, já prometeu o acerto dos preços para a presidente da petrolífera, Graça Foster. 

Conforme apontam interlocutores do Planalto, a presidente Dilma já teria consultado o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para saber se há espaço para correção dos preços de gasolina e diesel. Eles teriam dado o aval para que o reajuste ocorresse até meados de outubro, apontou a publicação. Espera-se que o aumento dos preços para os consumidores, no caso da gasolina, fique entre 6% e 8%. “O martelo já foi levantado e será batido mais cedo do que muitos acreditam”, afirmou um assessor econômico da presidência ao Correio Braziliense. 

Aprenda a investir na bolsa