Comentando bolsa

Quando a Bolsa sobe é porque há confiança no país, diz Temer

"Nos últimos tempos a Bolsa de valores atingiu seu pico, quando a Bolsa sobe é porque há confiança no país", disse em cerimônia

arrow_forwardMais sobre

Em um discurso mais curto do que o habitual, de pouco mais de cinco minutos, o presidente Michel Temer exaltou a recuperação da economia e destacou os resultados da Bolsa de Valores como sendo uma demonstração da retomada da confiança no País. “Nos últimos tempos a Bolsa de valores atingiu seu pico, quando a Bolsa sobe é porque há confiança no país”, disse em uma cerimônia alusiva ao Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa, no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira, 4.

Na terça-feira, 3, o índice Ibovespa – principal indicador da B3, a Bolsa paulista – atingiu um novo recorde histórico ao fechar em alta de 3,23%, aos 76.762 pontos, na esteira de uma declaração feita na noite de segunda-feira pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, sobre uma eventual privatização da Petrobras. Com o resultado da terça, a alta acumulada do Ibovespa em 2017 chegou a 27,46%.

Apesar de o evento ser voltado para os pequenos e micro empresários, Temer usou boa parte do discurso para destacar uma ação do governo lançada também em cerimônia na semana passada: o Progredir, programa de microcrédito para famílias de baixa renda. Tocada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, a ação prevê a disponibilidade de R$ 3 bilhões para que as famílias que estão inscritas no Cadastro Único dos programas sociais do governo federal.

PUBLICIDADE

“Eu sonho que, daqui a alguns anos, não precisemos ter um programa como Bolsa Família”, disse Temer, repetindo exatamente a mesma frase do evento da semana passada, quando também já havia destacado os resultados da Bolsa de Valores. O presidente disse ainda que não abandonará os pobres e que Bolsa Família será mantido até quando for necessário.

Ao exaltar o papel dos micro e pequenos empresários, Temer falou que esse é o público mais interessado para que o país dê certo. “Se o país caminhar bem, o microempreendedor caminhará bem”, disse.

Agenda positiva

No evento, o governo anunciou o lançamento da Semana Nacional do Crédito, realizada durante o mês de outubro, em datas diferentes, em todo o País. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), durante o mês, sete instituições financeiras irão disponibilizar R$ 9 bilhões em crédito, sendo R$ 8 bilhões para novos empréstimos e R$ 1 bilhão para negociação de dívidas. Além disso, será oferecida às MPEs, gratuitamente, consultoria para tomada de crédito consciente e adequado às suas necessidades.

O Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa é celebrado na quinta-feira, 5, por conta da criação do Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte (Lei 9.841, de 5 de outubro de 1999). Mais cedo, pelo Twitter, Temer exaltou o papel das pequenas empresas para a economia. “Hoje vou comemorar com os Micro e Pequenos empresários o seu dia. Eles representam mais de 98% das empresas brasileiras, 27% do PIB e são responsáveis por quase 60% do emprego”, escreveu o presidente.

Com os índices de popularidade extremamente baixos, indiretamente, Temer afirmou que os micro e pequenos empresários voltaram a empregar. “São pessoas que não saem na TV, não dão entrevistas, mas trabalham, cada um, 24h por dia p/ uma vida melhor. E coletivamente por Brasil melhor. Vamos comemorar o que todo brasileiro quer e merece: o Brasil, definitivamente, voltou a empregar”, disse.

Temer aproveitou as mensagens para exaltar também outros resultados da economia. “Só ontem, tivemos a notícia de que a Bolsa de Valores bateu um novo recorde e que as vendas dos eletrodomésticos subiram 8.8%. Mais importações, mais exportações, mais postos de trabalho conquistados. Isso é o que interessa: vamos juntos transformar o Brasil”, finalizou na sequência de oito mensagens.