AO VIVO Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

PSDB exige votação dos royalties antes das eleições e emperra votações do pré-sal

Oposição dificulta acordo com base governista e indefinição ameaça atrasar votações; Petrobras segue confiante na aprovação

SÃO PAULO – A bancada do PSDB no Senado exigiu, nesta terça-feira (11), que o plenário defina a distribuição dos royalties do petróleo antes das eleições, contrariando a proposta do governo e do DEM. A falta de acordo ameaça atrasar a votação de outros projetos importantes, como o Ficha Limpa e a reestruturação do Cade (Conselho de Defesa Econômica).

A oposição, que antes do início das votações já exigia o fim do regime de urgência dos quatros projetos do pré-sal, agora demanda o adiantamento da votação da distribuição dos royalties. A decisão seria motivada por uma emenda do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que destina recursos do pré-sal à educação, e que ele quer ver aprovado na votação final dos projetos. “O PSDB, pela maioria da sua bancada, entende que os quatro problemas (do pré-sal) devem ser resolvidos de uma vez”, afirmou o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio. 

O líder do governo do Senado, senador Romero Jucá, admite a retirar a urgência do calendário do Senado desde que base aliada e oposição cheguem a um acordo e assinem um requerimento para definir novas datas. Com a recente exigência tucana, no entanto, a possibilidade de acordo ficou ainda mais distante.

PUBLICIDADE

A indecisão pode prejudicar a votação de projetos como o do Ficha Limpa, da licença maternidade e da reestruturação do Cade. ODEM mesmo sendo parte da oposição, prefere deixar as discussões sobre royalties para depois de outubro. 

Petrobras segue confiante
O presidente da Petrobras (PETR3, PETR4), José Sérgio Gabrielli, diz manter a confiança na aprovação, no Congresso, do projeto de lei da capitalização, apesar da demora do Senado para iniciar as votações. Gabrielli acrescentou que nem mesmo o conturbado cenário nos países da Zona do Euro trará alterações aos planos de capitalização da companhia.

“Momentos de turbulência trazem dificuldades, mas também oferecem oportunidades”, afirmou Gabrielli a jornalistas nesta terça-feira. “Nós confiamos nos nossos projetos”.