AO VIVO Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Projeto que regulamenta documentação sobre isenção fiscal será votado em breve

Proposta do ministro Edison Lobão prevê disciplinar a elaboração do demonstrativo do efeito sobre as contas públicas

SÃO PAULO – O Projeto de Lei Complementar que regulamenta a elaboração do demonstrativo do efeito sobre as contas públicas – documento que acompanha a lei orçamentária anual – causado por isenções e anistias fiscais, está pronto para ser votado em Plenário.

A proposta, formulada pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA), altera três artigos da Lei Complementar 101/00 para dispor sobre o projeto de lei orçamentária anual e documentos previstos na constituição.

A redação desse dispositivo é “reconhecidamente imprecisa, confusa e, até mesmo, redundante, haja vista que as isenções, anistias e remissões são, na verdade, espécies do gênero benefício tributário”, declarou Lobão sobre o antigo texto.

Outras mudanças

PUBLICIDADE

O projeto também discrimina e conceitua o benefício tributário e financeiro, e estabelece a obrigatoriedade de encaminhamento, ao Congresso Nacional, dos demonstrativos dos benefícios tributários e financeiros, em anexo com o projeto de lei orçamentária anual.

Este encaminhamento deve ser feito de acordo com o setor de atividade econômica e da macrorregião, especificando, no caso dos benefícios tributários, os tributos que geraram a renúncia fiscal. Além disso, no caso dos benefícios financeiros, o projeto determina também que sejam informadas as operações de crédito correspondentes.

O novo texto de Lobão também prevê a publicação, pelo Executivo, dos demonstrativos dos benefícios tributários e financeiros em conjunto com o relatório bimestral da execução orçamentária e com o balanço geral da União.

A proposta já foi aprovada sob a forma de substitutiva pelas Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania e de Assuntos Econômicos, e está pronta para ser incluída na Ordem do Dia do Plenário.